Comment on Log your electricity consumption with Powermon433 by Steve Fowler   
Ack! It turns out that there is a bug in the Arduino code if the device ID = 0x0000, since every frame ends up having a valid CRC and gets treated as an ID frame. (Naturally, my out-of-box device ID was 0x0000. :-( The easy workaround is to hold reset on the sensor for 10-ish seconds to force it to assume a new device ID and proceed from there. Also, FYI, the Adafruit Feather M0 433 looks like a perfect platform for this Arduino code, since it is small and has an RFM69HCW receiver built-in. Just a few pin changes, I hope ... maybe (TBD.)
          Comment on Notes on mini-printers and Linux by scruss   
To use with a ______? Options 1, 2 & 3 will work with an Arduino (5V), or Raspberry Pi / 3V3 microcontroller <em>if</em> you can get the right power supply. 24 V is mostly for truck use, 12 V might be a little easier to get and still prints quickly, and the 5-9 V options are very easy to get but often drive the printer pretty slowly. Option 4 you likely don't want at all. Real RS232 levels are a bit rare these days. Option 5 would work nicely with a Raspberry Pi, but difficult with a microcontroller.
          Arduino-compatible robot dev kit includes RPi 3 and Tinker Board add-ons   

Husarion unveiled an Arduino-ready “Core2” robotics board for web based prototyping, plus a Linux-ready “Core2-ROS” that adds an RPi 3 or Tinker Board.

San Francisco based robotics firm Husarion, which has previously launched an industrial picker robot called the RoboCore, has gone to Crowd Supply to pitch a new Husarion Core2 prototyping platform for the robotics maker community. The $89 Cortex-M4 based Core2 controller board, which includes an ESP32 WiFi adapter, is also available in a version that runs Linux and Robot Operating System called the Core2-ROS. The ROS version replaces the ESP32 with a WiFi-ready Raspberry Pi 3 or Asus Tinker Board SBC.

Read more


          Arduino lesson – PWM Control LED Brightness   
Introduction In this lesson, we will show how to gradually change the luminance of an LED through programming. Since the pulsing light looks like breathing, we give it a magical name – breathing LED. We’ll accomplish this effect with pulse width modulation (PWM). Preparations Hardware Osoyoo UNO Boars (Fully compatible with Arduino UNO rev.3) x 1 ...Read the Rest
          Arduino lesson – Eight of Flowing Water Light   
Introduction In this lesson we will realize the function of eight of flowing water light,  from left to right, each only light one LED,reciprocating cycle. Preparations Hardware Osoyoo UNO Boars (Fully compatible with Arduino UNO rev.3) x 1 Breadboard x 1 LED x 8 200 ohm resistor x 8 M/M jumper x 20 USB Cable x 1 PC x 1 ...Read the Rest
          Arduino lesson – LED   
Introduction In this lesson, we will show how to use different resistor to change the brightness of an LED. Preparations Hardware Osoyoo UNO Boars (Fully compatible with Arduino UNO rev.3) x 1 Breadboard x 1 LED x 1 200 ohm resistor x 1 1k ohm resistor x 1 10k ohm resistor x 1 M/M jumper ...Read the Rest
          Full Circle Magazine #122   
This month: * Command & Conquer * How-To : Python (Arduino), Intro To FreeCAD, and Installing UBports * Graphics : Inkscape & Kdenlive * [NEW!] Researching With Linux * Linux Labs: * Review: Etcher * Ubuntu Games: Siltbreaker Act 1 plus: News, Q&A, My Desktop, and soooo much more. Get it while it’s hot! http://fullcirclemagazine.org/issue-122
          Así es el exo-brazo de código abierto que dos jóvenes ingenieros están creando por apenas 100 dólares   

Exoarm Exo Brazo Lowcost Y De Codigo Abierto

Cuando pensamos en exo-esqueletos o en los diferentes componentes que lo forman nos vienen a la mente costosas armaduras con varios beneficios, sí, pero al alcance de muy pocos. Pero dos jóvenes ingenieros eslovenos quiere cambiar esto, y está desarrollando un exo-brazo sencillo, de código abierto y con un coste de únicamente 100 dólares para que cualquiera que lo necesite se lo pueda permitir, especialmente para la tercera edad.

Se llama ExoArm, tiene un corazón Arduino, y están tratando de programarlo todo con un código fácil de entender y de modificar. Tienen un primer prototipo funcional capaz de levantar pesos de 10 kilogramos, y de momento están centrando la primera fase de desarrollo en el control del brazo en sí para ponerse a trabajar después en pulir el diseño.

"Estamos desarrollando un diseño exo-brazo relativamente barato, sencillo pero potente que permita un uso fácil", explican en el proyecto. "Lo cual es especialmente importante para los ancianos y otras personas que necesitan este tipo de ayuda en la vida cotidiana".

El exo-brazo es tan fácil de colocar como ponértelo sobre el brazo y ajustar dos correas. Cuando uno de sus sensores detecta que estás moviendo tu brazo, este le manda la orden a ExoArm para que se mueva contigo sin que tengas que hacer fuerza. De esta manera, aunque tengas unos brazos débiles podrás mover objetos relativamente pesados. Así de sencillo.

En cuanto a los materiales que utilizan, todos ellos están listados en la página donde tienen subido el proyecto, y son de lo más rudimentarios. Entre los componentes nos encontramos por ejemplo con placas de aluminio, un Arduino Uno / Nano, un motor de limpiaparabrisas de coche y una batería Li-Po de 5500mAh. También tiene un sensor muscular para saber cuándo movemos el brazo.

Un trabajo todavía en desarrollo

Prototipo Funcional De Exoarm

Hay que tener en cuenta que se trata de un proyecto aún en desarrollo, y que por lo tanto todavía le queda camino por recorrer. De hecho, su primer prototipo sólo es capaz de mover el brazo hacia abajo, aunque ya están trabajando en conseguir que se mueva hacia arriba colocando un segundo sensor.

El siguiente paso, tal y como explican, es que el brazo pueda determinar si tenemos un objeto suspendido en el aire para poder actuar en consecuencia calculando su masa y calibrando así la fuerza que es necesaria emplear.

El proyecto es totalmente abierto, y en el portal en el que lo tienen subido han colgado al archivo .ino de Arduino para que cualquiera pueda observar el código y aportar ideas y soluciones para los problemas que van encontrándose por el camino. El objetivo final, recordamos, es crear un exo-brazo accesible y de código abierto. De hecho tienen incluso un vídeo en el que muestran pieza por pieza el proceso de montaje.

Como hemos dicho antes, de momento están en una fase inicial en el que se están centrando en conseguir que todo funcione correctamente tal y como tienen en mente. Una vez la terminen entonces ya se pondrán a pulir el diseño antes de presentar los primeros prototipos finales.

Si todo sale bien, quizá en unos meses tengamos ante nosotros un exo-brazo que nos podamos construir nosotros mismos. El código que lo mueve estará desarrollado y sólo tendremos que instalarlo en Arduino, y sabremos también cuales son los materiales necesarios y cual es el proceso para ensamblarlos.

Enlace | Assistive Exoskeleton Arm (ExoArm)
En Xataka | Este exoesqueleto modular reparte el trabajo de carga entre hombros, piernas y espalda

También te recomendamos

¿Tienes un Nokia 1100 llenándose de polvo? Ya puedes transformarlo en smartwatch

Ni Twitter ni Facebook ni Google, ¿cómo se lo montan los chinos en Internet?

Netflix ha diseñado un cuantificador personal que nos motiva con frases de sus series mientras nos ejercitamos

-
La noticia Así es el exo-brazo de código abierto que dos jóvenes ingenieros están creando por apenas 100 dólares fue publicada originalmente en Xataka por Yúbal FM .


          Comment on Run an ESP8266/Arduino as a IBM Watson IoT Platform managed device by antelder   
Hi RetoKeller, i've still not got to writing the developerWorks sample for Watson gateways sorry. I do have some code that shows how an ESP8266 can be a gateway though so that should help, see here: https://github.com/HarringayMakerSpace/ESP-Now/blob/master/EspNowWatsonRestartingGateway/EspNowWatsonRestartingGateway.ino
          Comment on Use HTTP to send data to the IBM Watson IoT Platform from an ESP8266 by antelder   
What release of the ESP8266 Arduino SDK are you using? You do need a very recent version for this to work - 2.3.0 came out in June 2017, that one should work.
          arduino code by salemalrashedi   
arduino coding (Budget: $10 - $30 USD, Jobs: Arduino)
          Phillip K Smith III: Lucid Stead (Joshua Tree, California 2013)   

PHILLIP K SMITH III : Lucid Stead

On the weekend of October 12th in Joshua Tree, California, artist Phillip K Smith III revealed his light based project, Lucid Stead. What was expected to be a two day event for a handful of viewers, turned into over 400 people making the journey over two weekends. People as far away as New York City and Canada traveled to the California High Desert to experience it. Numerous media sources have asked to do cover stories on the work. Thousands of photos professional and amateur, were taken, posted and shared across blogs and social media sights. In just over 30 days, Lucid Stead officially became a phenomenon.

Composed of mirror, LED lighting, custom built electronic equipment and Arduino programming amalgamated with a preexisting structure, this architectural intervention, at first, seems alien in context to the bleak landscape. Upon further viewing, Lucid Stead imposes a delirious, almost spiritual experience. Like the enveloping vista that changes hue as time passes, Lucid Stead transforms. In daylight the 70 year old homesteader shack, that serves as the armature of the piece, reflects and refracts the surrounding terrain like a mirage or an hallucination. As the sun tucks behind the mountains, slowly shifting, geometric color fields emerge until they hover in the desolate darkness. This transformation also adapts personal perception, realigning one’s sensory priorities. A heightened awareness of solitude and the measured pace of the environment is realized.

Smith states, "Lucid Stead is about tapping into the quiet and the pace of change of the desert. When you slow down and align yourself with the desert, the project begins to unfold before you. It reveals that it is about light and shadow, reflected light, projected light, and change."

Phillip K Smith III received his Bachelor of Fine Arts and Bachelor of Architecture at the Rhode Island School of Design. He draws inspiration from the reductive logic of minimalism and the optic sensation of California's Light and Space movement. Smith’s innovation and exploitation of new technologies keeps these ideologies current. He was honored as the 2010 Artist in Residence at the Palm Springs Art Museum and was included in the exhibition, Smooth Operations: Substance and Surface in Southern California Art, alongside artists such as Peter Alexander, Larry Bell, DeWain Valentine, and Craig Kauffman at the Museum of Art and History in Lancaster CA. He has been asked to return to the museum for a solo exhibition opening in January 2014. He has been commissioned to create over a dozen monumental art works and his light based sculptures are collected Nationwide. Phillip will open a solo exhibition of lightworks at royale projects : contemporary art in Palm Desert on November 29 2013. His work will be featured at UNTITLED art fair in Miami opening December 1st.

for more info visit: lucidstead.com

contact: royaleprojects.com

video courtesy of: Phillip K Smith, III & royale projects : contemporary art

Cast: royale projects

Tags: phillip k smith III, lucid stead, joshua tree, california, desert, light, color, contemporary art, coachella valley, artist, royale projects, palm desert, palm springs, #lucidstead and #pks3


          由 陳建豪 發表的 Arduino 使用 SCT013 量電流(ADS1115) 迴響   
<p>大大您好,請問arduino的電路圖中,有兩顆咖啡色很像眼睛的東西 那個是什麼呢? 此外,看不太清楚下面這句話 “接電路將電流轉換成電壓,而且電流帶有正負電壓的正弦波,最後會以差分輸入的方式取得轉換值” 1.想請問將電流轉成電壓是怎麼實現的呢? 2.以及差分輸入這個是直接依靠ADS1115 這塊模組就可以完成了嗎 謝謝您!!</p>
          Chip Hall of Fame: Atmel ATmega8   
The chip at the heart of the original Arduino was created by two annoyed students
          Projetos para Raspberry Pi - Sobrecarregue o seu PI   

Sobrecarregue seu Raspberry Pi

 

Prepare seu ferro de solda

 

 

http://cdn.mos.cms.futurecdn.net/f1890251779e708f600bf2a5a3a827fe-320-80.jpg

Nota: Nosso supercarregar seu artigo Raspberry Pi foi totalmente atualizado. Este recurso foi publicado pela primeira vez em fevereiro de 2013.

 

Adoramos o Raspberry Pi em todas as suas formas desde que ele foi lançado em 2012. E é cada vez mais óbvio que o resto do mundo adora esses dispositivos também. Quando o Pi apareceu pela primeira vez, não pensamos que ninguém além de entusiastas e educadores ...

 

 

O Raspberry Pi atingiu um acorde com hobbyistas em todo o mundo, de forma que nenhum outro dispositivo nos últimos anos tem. A produção inicial de todos os vários modelos - desde o original Raspberry Pi até o modelo Pi Zero mais recente - vende-se tão rapidamente que a maioria de nós tem que aguardar alguns meses antes de serem geralmente disponíveis, embora mesmo assim eles vendam Tão rápido quanto as fábricas podem fazê-los.

 

 

Isso não é surpreendente, dado que é um computador totalmente funcional capaz de executar o Linux e - no caso do Pi 2 - até o Windows 10. O Pi Zero pode ser comprado por cinco libras, enquanto por £ 30 (cerca de US $ 45, AU $ 60) você pode obter um quad-core Raspberry Pi 2 com 1GB de RAM e toda a conectividade que você precisa em uma placa de tamanho de cartão de crédito. Não é de admirar que o objetivo do projeto de revolucionar a educação informática desatualizada no Reino Unido parece estar funcionando.

Uma coisa é certa, porém - o mundo do hacker de hardware amador nunca foi o mesmo desde que o Pi apareceu pela primeira vez. Esses sistemas diminutivos, mas totalmente funcionais, são perfeitos para adicionar energia de processamento a locais incomuns, onde o espaço e a eletricidade são excelentes.

 

Descubra o que mais você pode fazer com o pequeno PC, explorando nossa coleção de Projetos Raspberry Pi

 

O recente projeto Astro Pi é apenas o último exemplo de Pi ser enviada para o espaço, enquanto a FishPi os vê preparados para atravessar o oceano, mas eles também estão encontrando usos em ambientes mais mundanos, ajudando a preparar cerveja doméstica ou a conduzir carros de controle remoto. Vamos analisar alguns projetos legais para o Pi e apresentá-lo às técnicas que você precisa para transformar o seu no dispositivo de seus sonhos.

 

Graças à versatilidade e à profundidade das ferramentas Linux, é fácil sintonizar o seu Pi para ser qualquer coisa, desde um computador de mesa até um centro de mídia ou controlador de hardware.

 

 

Guia Distro

 

Como você provavelmente espera, há uma ampla gama de sistemas operacionais - conhecidos como distros - disponíveis no Pi, e os novos parecem aparecer todas as semanas. Aqui, vamos dar uma olhada em alguns dos mais populares, bem como em alguns dos novos.

Você instala uma distro de maneira ligeiramente diferente do que em um computador normal. Uma vez que tudo funciona com um cartão SD, tudo o que você precisa fazer é escrever o novo sistema operacional neste cartão. A maneira mais simples é usarNOOBS, ou você também pode gravar imagens de outras distribuições compatíveis no cartão.

Se você estiver executando o Windows, Win32DiskImager é seu melhor amigo, enquanto os usuários do OS X e Linux podem usar a ferramenta de linha de comando dd. Esta ferramenta faz uma cópia bit-for-bit de dados entre um dispositivo e um arquivo (ou para esse assunto, dois arquivos ou dois dispositivos).

As distros são fornecidas como arquivos de imagem (um pouco como arquivos ISO para CDs) que podem ser gravados no disco, depois de serem descompactados, se necessário, com:

$ sudo dd if= of= bs=4k 
$ sudo sync

 

A segunda linha garante que todos os dados estejam escritos no cartão e não estão presos em quaisquer buffers. Assim, por exemplo, no nosso computador de teste, que possui dois discos rígidos (sda e sdb), o cartão SD aparece como dev / sdc, então substitua por dev / sdc. Se você não tiver certeza de qual dispositivo seu cartão SD é, rundf -h no terminal, e irá listar todos os dispositivos. Você deve poder ver qual é.

Da mesma forma, refere-se ao caminho completo e nome do arquivo do seu arquivo de imagem - por exemplo / home / nick / downloads / 2015-11-21-raspbian-jessie.img.

Para fazer backup de sua configuração do Raspberry Pi, você pode criar um novo arquivo de imagem ao inverter o código do arquivo if (arquivo de entrada) e do arquivo de saída no comando dd. Isso é:

 

 

$ sudo dd if= of= bs=4k

Esta imagem pode então ser comprimida, usando gzip ou bzip para que não ocupe muito espaço no disco rígido.

A maioria das pessoas usam Raspbian

 

Raspbian

 

Esta é a distribuição recomendada pela Fundação Raspberry Pi. A menos que você tenha um bom motivo para usar um diferente, provavelmente é sua melhor aposta. A última versão é baseada no Debian 8 (codinome 'Jessie'), e assim você pode instalar facilmente qualquer coisa dos enormes depósitos Debian.

O ambiente de trabalho padrão é o LXDE, que é muito leve, mas um pouco básico para alguns gostos. O Xfce está disponível para pessoas que gostam de mais algumas vantagens gráficas. Raspbian também possui o programa raspi-config, que provavelmente é a maneira mais fácil de configurar seu Pi.

O Raspberry Pi foi projetado para levar as crianças à programação, e Raspbian foi projetado com isso em mente. Você encontrará Idle (um Python IDE) e Scratch (um ambiente de programação para crianças pequenas) na área de trabalho - veja o guia do iniciante para programação para mais detalhes. Você pode baixar o distrohere.

 

Arch Linux

 

Enquanto o Raspbian foi criado para tentar proteger os usuários da configuração interna do sistema operacional, o Arch Linux foi projetado para ajudar os usuários a entender como o sistema funciona. Versões especiais para o processador ARP do Pi podem ser baixadas da archlinuxarm.org - escolha ARMv6 para Pi e Pi Zero original e ARMv7> Broadcom para o Raspberry Pi 2.

A imagem inicial inclui apenas o sistema básico para que seu Pi seja executado e conectado à rede. Não inclui muito do software que você pode precisar para usar o sistema, como, por exemplo, um ambiente gráfico. Você deve encontrar todas as informações que você precisa no Arch Linux Wiki.

Tirá-lo desse estado inicial para um sistema de trabalho exigirá um pouco de trabalho, mas ao longo do caminho, você aprenderá sobre como os internos de uma distro Linux se encaixam. Seja ou não isso vale a pena todo o trabalho, é claro, depende de você.

 

OSMC

 

O Raspberry Pi pode ter sido projetado como uma ferramenta educacional, mas os hobbyists foram bastante rápidos para torná-lo um brinquedo. Esta distro foi projetada para transformar seu Pi em um centro de mídia que pode ser usado para controlar sua TV.

É baseado no Kodi, que permite que você reproduza músicas e vídeos que você tenha como arquivos, ou transmita-os pela internet. A imagem pode ser baixada de: https://osmc.tv/download. Quanto aos detalhes de como instalar e configurá-lo, abordaremos isso um pouco mais tarde neste artigo.

Se você tiver uma configuração de back-end MythTV, você pode usar o Kodi para fornecer uma interface frontal. Dependendo do que você quer jogar, talvez seja necessário comprar os pacotes de codecs que fornecem acesso a algoritmos de áudio e vídeo protegidos por patente.

 

Android

 

Uma versão oficial do Android - aprovada pela Fundação Raspberry Pi - morreu uma morte tranquila depois de ter sido anunciada pela primeira vez em 2012. No seu lugar, a comunidade vem trabalhando em uma versão não oficial. O desempenho é dificultado pela falta de suporte de aceleração de hardware (os desenvolvedores descrevem isso como "pouco utilizável"), mas está disponível agora. 

 

 

Instalando o Raspbian

 

Para a maioria das pessoas que o usam, Raspbian será o rosto gráfico do Raspberry Pi. Pode ser obtido e instalado em um cartão SD seguindo as instruções na página anterior.

Uma vez que está funcionando, é uma boa idéia pegar as versões mais recentes de todo o software conectando seu Pi à Internet e fazendo uma das duas coisas - abra Menu> Preferências> Adicionar / Remover Software e escolha Opções> Atualizar listas de pacotes Seguido de Opções> Verificar atualizações ... ou abrir um Terminal e digitar os dois comandos a seguir:

 

$ sudo apt-get update

$ sudo apt-get upgrade

 

O recurso assassino do Raspbian é o programa raspi-config, que pode ser executado a qualquer momento digitando sudo raspi-config em um terminal. Mais uma vez há um front-end mais amigável disponível através do ambiente de trabalho padrão - clique em Menu> Preferências> Configuração do Raspberry Pi para acessar a GUI.

 

Tem algumas opções, mas as mais importantes são:

 

Expandir o Sistema de Arquivos - por causa do modo como o Raspbian está instalado, ele só criará um sistema de arquivos de 2 GB, portanto, se você tiver um cartão maior, qualquer espaço restante permanecerá não utilizado. Você pode usar essa opção para expandir o sistema de arquivos para tirar proveito de qualquer espaço desperdiçado. Clique em Expandir o Sistema de Arquivos na guia Sistema para conseguir isso na GUI.

 

Opções de inicialização - isso muda se o seu Pi se inicia em um ambiente gráfico ou um texto. Escolha "Para Desktop" ou "Para CLI", respectivamente, da guia Sistema da GUI para obter o efeito desejado.

 

Overclock - obtenha um desempenho extra sem custo extra! Veja a seção abaixo para obter mais detalhes - esta opção está na guia Desempenho da GUI.

 

Opções avançadas>  Overscan - esta opção pode ser usada em alguns displays para expandir os gráficos para preencher a tela inteira. Você pode ignorá-lo com segurança, a menos que tenha problemas.

 

Opções avançadas> Divisão de memória - o Raspberry Pi usa o mesmo pedaço de memória tanto para o processador principal quanto para o chip gráfico. Usando esta opção (memória GPU sob a guia Desempenho na GUI), você pode especificar o valor a alocar aos gráficos. Normalmente, você diminui essa figura se você estivesse executando o Pi sem cabeça, permitindo que você liberasse mais memória para o processador principal.

 

O software instalado foi reduzido ao mínimo. Esta é uma boa idéia, mas você pode achar que as ferramentas que você usa em outras distros de desktop não estão lá. Felizmente, como o Raspbian está vinculado aos repositórios Debian Armhf, você tem acesso a mais programas do que provavelmente você precisará. Basta abrir o Menu e escolher Preferências> Adicionar / Remover Software.

 

 

Overclocking

 

O processador no coração do Raspberry Pi é projetado para ser executado em qualquer coisa, desde 700MHz (modelos mais antigos) até 900MHz (o novo Pi 2 e Pi Zero). Em outras palavras, para realizar entre 700.000.000 e 900.000.000 de operações por segundo nos modelos monocêntricos e - em teoria - até 3.600.000.000 de operações por segundo no modelo quad-core do Pi 2 (na prática é improvável que faça isso).

 

 

Você pode overclockar seu Raspberry Pi diretamente da área de trabalho LXDE

 

Claro, 'projetado para executar' não significa 'tem que executar'. Você pode aumentar essa velocidade. No entanto, fazer isso aumentará o consumo de energia, o que, por sua vez, aumenta a quantidade de calor gerada. Se ficar muito quente, é susceptível de acabar com uma pilha de silício de fumo, em vez de um processador funcional.

Felizmente, as versões posteriores do Raspbian agora incluem uma ferramenta para ajudá-lo a acelerar a velocidade enquanto mantém um olho na temperatura. Uma vez que esta é uma ferramenta oficial, o uso dela não invalidará sua garantia (ao contrário dos métodos não oficiais anteriores). Tenha em atenção que isso não se aplica ao Pi Zero - já está no seu máximo teórico, e a tentativa de overclock ele irá diminuir a velocidade.

 

O overclocking do seu Pi é simplesmente uma questão de abrir a ferramenta Configuração Raspberry Pi no Menu> Preferências, alternando para a guia Desempenho e selecionando a velocidade de clock mais rápida no menu suspenso Overclock.

Se você achar que seu Pi se torna instável, reinicie com a tecla [Shift] pressionada para desativar o overclocking, então mude a opção novamente. A configuração máxima deve dar aos proprietários do modelo original Pi uma enorme velocidade extra de 50%, que encontramos, faz uma diferença real na experiência do usuário da área de trabalho, especialmente para a navegação na web.

Se você quiser manter o olho na temperatura do seu núcleo, você pode adicionar o widget de temperatura ao painel LXDE. No entanto, seu Pi desligará automaticamente o overclocking uma vez que ele atinja 85 graus C.

 

OSMC

 

Você pode instalar um media player, como o VLC, no Raspbian e usar isso para reproduzir vídeos. Isso funciona bem se você estiver usando seu Pi como um computador geral e dando-lhe funções multimídia ocasionais. No entanto, o pequeno tamanho do hardware, e o fato de que ele é executado silenciosamente, faz dele uma boa opção para construir seu próprio centro de entretenimento.

 

 

As novas placas da revisão 2 têm furos de montagem para ajudá-lo a manter seu centro de entretenimento arrumado

 

Você pode começar com o Raspbian e personalizá-lo para suas necessidades, e esta é uma boa idéia se você tiver alguma função incomum em mente. No entanto, se você estiver olhando para pressionar um Pi para o serviço como um centro de mídia exclusivo, a vida não poderia ser mais simples do que usar o OSMC.

O OSMC é construído no centro de mídia de fonte aberta do Kodi e é incrivelmente fácil de instalar. Vá para a página de download para pegar o instalador para Windows, Mac ou Linux, o que fará o trabalho duro de copiar o OSMC para seu cartão microSD. Uma vez feito, coloque-o no seu Pi e arranque.

Você será levado direto para a interface de desktop Kodi, onde você pode começar a configurá-lo e adicionar suas próprias bibliotecas de mídia usando a mídia armazenada localmente em uma unidade USB ou de rede (veja abaixo). Você também pode instalar complementos para acessar a mídia de outros lugares - incluindo fluxos de TV catch-up e mais além.

 

Uma vez que o seu centro de mídia equipado com Pi esteja sob sua TV, controlá-lo usando um mouse e teclado não será prático - você poderia usar um modelo sem fio, é claro, ou simplesmente instalar um controle remoto amigável para o seu smartphone Android ou Apple.

 

Esteja ciente de que o OSMC pode desenhar o máximo de energia que seu Pi pode reunir - antes de conectar qualquer periférico USB. Faz sentido, portanto, anexar um hub USB alimentado ao seu Pi e, em seguida, conectar qualquer unidade externa a isso.

 

O OSMC permite que você acesse toda a coleção de mídia digital na torneira

 

Continuando

 

It's possible to take complete control of your TV viewing using Linux, including watching live TV, and recording shows for later. This can be done using MythTV.

 

You'll need a separate computer with the appropriate cable connections to act as the server. A word of warning, though: MythTV is renowned for its pernickety installation. The stresses of this procedure are responsible for more than a few grey hairs.

You can play video files that you have stored on other computers on your network, for example those on a Network Attached Storage (NAS) box. The exact method for doing this will vary depending on how you share the files, but they are configured through the Add Sources buttons. For more information on this, check out the Kodi wiki.

 

 

Faça backup de suas fotos usando seu Pi

 

O tamanho do Raspberry Pi significa que podemos usá-lo para assumir o controle de outros dispositivos embutidos. Isso pode parecer um pouco redundante - os dispositivos incorporados, obviamente, já possuem alguma forma de controlador - mas isso significa que podemos script e estendê-los de maneiras que não são possíveis (ou são, pelo menos, muito difíceis) sem o dispositivo extra.

Quase tudo o que você pode conectar a uma área de trabalho normal pode ser roteado por um Pi, mas vamos olhar as câmeras por alguns motivos. Em primeiro lugar, há suporte para a maioria no Linux e, em segundo lugar, há uma série de projetos úteis que você pode fazer uma vez que você compreendeu o básico.

 

 

 

Nessa forma, não é muito portátil, mas com um pouco de DIY judicioso, você poderá empacotar seu Pi mais convenientemente

A melhor ferramenta de linha de comando para manipular câmeras no Linux é Gphoto2. Obtenha com:

 

$ apt-get install gphoto2

 

Antes de ficar preso ao projeto, vamos dar uma olhada nesta ferramenta útil para ver o que pode fazer.

O ambiente de trabalho pode tentar montar a câmera, e isso pode causar Gphoto2 alguns problemas, então a coisa mais fácil é executar sem ela. Abra um terminal e execute sudo raspi-conf e, em Opções de inicialização, selecione Console B1 e reinicie.

 

No nosso sistema de teste, descobrimos que, funcionando dessa forma, poderíamos executar tudo fora da fonte de alimentação do Pi, mas se tentássemos usar um mouse também, precisávamos atualizar para um hub alimentado. Obviamente, isso dependerá dos detalhes dos seus periféricos e da fonte de alimentação.

No novo ambiente somente de texto, conecte sua câmera e execute:

 

$ gphoto2 --auto-detect

 

Isso tentará encontrar qualquer câmera conectada ao Pi. Felizmente, ele vai pegar o seu. Embora suporte uma série impressionante, existem algumas câmeras que não funcionarão. Se o seu for um dos poucos desafortunados, você precisará implorar, roubar ou emprestar um de um amigo antes de continuar.

Nem todas as câmeras suportadas são iguais, e o próximo passo é ver o que a câmera pode fazer. Para listar as ações disponíveis, execute:

 

$ gphoto2 --auto-detect –abilities

 

Há, em termos gerais, duas classes principais de habilidades: captura e upload / download. Os primeiros permitem tirar fotos com seus scripts e estão presentes principalmente em câmeras de alta qualidade. O último permite lidar com fotos armazenadas no cartão de memória e estão presentes na maioria das câmeras suportadas. Neste projeto, lidamos apenas com o segundo conjunto de habilidades.

O comando mais simples que podemos enviar para a câmera é obter todas as fotos armazenadas nele. Isto é:

 

$ gphoto2 --auto-detect --get-all-files

 

 

A execução deste irá baixar todos os arquivos da câmera para o diretório atual. Isso seria bom em um computador normal, mas talvez você não queira fazê-lo em um Pi, pois corre o risco de preencher seu cartão de memória muito rapidamente. Em vez disso, nós os copiaremos em uma chave USB.

Para fazer isso em uma sessão interativa, você pode simplesmente usar uma ferramenta GUI para montar o stick e depois executar df -h para ver onde a placa USB está montada e cd para o diretório.

 

No entanto, uma vez que isso será executado automaticamente, precisamos saber onde o dispositivo será.

 

Existem algumas maneiras de fazer isso, mas vamos manter isso simples. Vamos montar a primeira partição do primeiro disco serial e armazenar as fotos lá. Aqui, assumimos que você está usando o usuário padrão pi. Se você não estiver, você precisará ajustar o script.

Primeiro, precisamos criar um ponto de montagem para a unidade. Esta é apenas uma pasta, e pode ser colocada em qualquer lugar - vamos invadir a convenção e colocá-la em nossa pasta inicial. Então, antes de executar o script, execute:

 

$ mkdir /home/pi/pic_mount

 

Com isso feito, estamos prontos para ir. O script para montar a unidade e obter as fotos é:

 

#!/bin/bash 

if mount /dev/sda1 /home/pi/pic_mount ; then 
echo "Partition mounted" 
cd /home/pi/pic_mount 
yes 'n' | gphoto2 -- auto-detect --get-all-files 
umount /dev/sda1 
else 
echo "/dev/sda1 could not be mounted" 
fi

 

yes 'n' É um comando que simplesmente emite um fluxo de n caracteres. Isso significa que quando o Gphoto2 solicitará substituir os arquivos baixados anteriormente, ele irá diminuir. O umount é essencial, porque garante que o drive esteja corretamente sincronizado e possa ser removido.

Chamamos o script get-pics.sh e o guardamos no diretório inicial do Pi. Para torná-lo executável, execute:

 

$ chmod +x /home/pi/get-pics.sh

 

Agora você deve poder executá-lo manualmente. Você precisará usar sudo porque precisa montar a unidade.

A peça final do quebra-cabeça é fazer com que o script seja executado automaticamente. Para fazer isso, adicione-o ao arquivo /etc/rc.local. Este script é executado quando você inicializa e ele é executado como root, então não há necessidade de se preocupar com as permissões.

A maneira mais rápida de abrir o arquivo como root é a seguinte:

$ sudo nano /etc/rc.local

 

Uma vez feito, adicione esta linha imediatamente antes da saída da linha 0:

 

/home/pi/get-pics.sh 
///end code///

 

Agora, tudo o que você precisa fazer é ligar a sua câmera (certificando-se de que ela está ligada) e USB stick, e ele irá fazer backup de suas fotos quando você inicializar.

Continuando

Se você quiser executar o dispositivo sem cabeça, como provavelmente será o caso, você poderia anexar LEDs aos pinos GPIO, conforme mostrado mais adiante neste artigo, e use estes para indicar os status. Além de salvar imagens na placa USB, você pode enviá-las para um serviço on-line, como o Flickr. Consulte a seção sobre redes sem fio na próxima página para obter informações sobre como conectar seu Pi ao seu telefone.

Você poderia incluir algum tipo de opção para dizer ao seu Pi quais fotos para carregar e para armazenar na placa USB - por exemplo, carregar imagens de baixa resolução e armazenar de alta resolução. Ou você pode criar versões de baixa resolução das imagens e carregá-las.

Gphoto2 tem muito mais recursos do que usamos aqui, incluindo ligações para Java e Python. Para obter detalhes completos, confira o site do projeto aqui.

 

Claro, você não precisa parar por aí. Se você tiver um dongle sem fio no seu Pi, você poderia usá-lo para executar um servidor HTTP. Com algum script PHP (ou outro idioma da web), você pode criar uma interface para GPhoto2 que permitirá que você se conecte a partir do seu celular.

Tomando-o em uma direção diferente, se sua câmera suportar opções de captura, você pode usar seu Pi para tirar fotos e copiá-las.

 

 

Alimentando seu Pi

 

O Raspberry Pi obtém o poder da sua porta microUSB. Isso fornece 5V, e a Fundação Raspberry Pi recomenda uma corrente disponível de pelo menos 700mA. Isso pode ser facilmente entregue através de um adaptador de rede ou um cabo USB de um computador.

Se você deseja que seu Pi seja portátil, então há outras opções. Quatro baterias AA devem fornecer energia suficiente, desde que você tenha a caixa apropriada e os cabos para obter a energia na porta microUSB.

No entanto, achamos que a melhor solução foi obter uma fonte de alimentação de backup para um telefone celular que se conecta diretamente ao Pi.

 

Lei de Ohm

 

Existem duas formas principais de medir a eletricidade - tensão e corrente. A tensão (medida em volts) é a quantidade de energia que uma dada quantidade de elétrons possui, enquanto a corrente (medida em amperes) é a quantidade de elétrons que passam por um ponto. Os dois estão intimamente conectados pela lei de Ohm que afirma: Voltagem = Corrente x Resistência, ou V = IR.

Você pode usar essa conexão para se certificar de que não brinde acidentalmente o seu Pi, pressionando muita corrente nele. A configuração exata do Pi é um pouco complexo. Se você quiser aprofundar, Gert van Loo (um dos designers) juntou uma explicação, que pode ser encontrada aqui.

Como uma regra geral, você pode tentar tirar a tensão de um pino GPIO em 3.3V e não deve desenhar mais de 16mA, ou empurrar mais do que isso para um pino de entrada. Lembre-se, esta é a corrente máxima, então você deve tentar usar menos.

Então, com a lei de Ohm, conhecemos V = IR, então R = V / I. Se colocarmos os dados do Pi e queremos garantir que não o prejudiquemos, sabemos que R deve ser maior que 3.3 / 0.016, o que é 206.25 Ohms. Lembre-se, esta é a menor quantidade de resistência que é segura usar com uma saída GPIO.

Você deve apontar para uma margem de segurança várias vezes acima disso, a menos que seja absolutamente necessário. Em nossos circuitos, usamos 1,000 Ohms, o que nos dá um fator de segurança de quase cinco.

 

 

 

Conecte seu telefone Android ao seu Pi e você pode usá-lo para redes sem fio

 

Rede

 

Todos os modelos Raspberry Pi - com exceção do Pi Zero - vem com uma conexão Ethernet com fio, o que é bom para a maioria das ocasiões, mas às vezes o cabo simplesmente não alcançará. Você poderia usar um dongle sem fio USB. No entanto, se você tiver um telefone Android e sua operadora não desativou o recurso, você pode usar isso como seu dispositivo de rede.

Isso tem uma vantagem extra de não tirar tanto poder do Pi, e assim torna mais fácil ao correr de baterias. Você deve poder compartilhar a conexão do seu telefone com o Wi-Fi, bem como com a 3G, portanto, ele não irá necessariamente comer na sua reserva de dados.

Claro, é melhor verificar o tipo de conexão antes de baixar arquivos grandes. Para fazer isso, conecte seu telefone ao seu Pi e ative o armazenamento USB do seu telefone em Configurações> Sem fio e Redes> Tethering e Mobile Hotspot. Se permanecer aceso, tente um cabo diferente.

De volta ao Pi, se você digitar sudo ifconfig, então você deve ver a interface usb0 listada, mas não terá necessariamente um endereço IP. As interfaces de rede são controladas pelo arquivo / etc / network / interfaces. Por padrão, pode não haver uma entrada aqui para redes USB, então você precisará configurar uma.

Abra o arquivo com seu editor de texto favorito como sudo - por exemplo, sudo nano / etc / network / interfaces - e adicione as linhas:

 

iface usb0 inet dhcp 
nameserver 208.67.220.220 
nameserver 208.67.222.222

 

Isso usa os servidores de nomes OpenDNS, mas você pode usar outros se desejar. Agora você pode reiniciar as interfaces ou reiniciar seu Pi para escolher as mudanças. Você deve ter uma conexão com a internet funcionando.

 

Use os pinos GPIO para acender alguns LEDs

 

O tamanho diminutivo da framboesa Pi significa que é ideal para criar seus próprios dispositivos embutidos. Esta pode ser uma ótima maneira de criar pequenos dispositivos de computação para resolver problemas específicos, como vimos com o controlador da câmera anteriormente.

 

 

figura 1: isso mostra como metade dos LEDs estão ligados. Os mais importantes são adicionados exatamente na metade

 

 

No entanto, existe o pequeno problema de que pode ser difícil saber o que está acontecendo dentro do seu Pi sem tela. Felizmente, os designers do Pi pensaram nesse problema e adicionaram as facilidades para obter informações sobre e fora de um Pi sem a maior parte dos periféricos de PC habituais. Isso é feito através de entrada e saída de uso geral (GPIO).

(Nota: se você tiver um Pi Zero, então o seu cabeçalho GPIO está despoblado - você precisará soldar isso em você).

Você pode ter se perguntado quais são os pinos espinhosos perto do leitor de cartão SD - bem, você está prestes a descobrir. Este circuito básico pode ser usado para exibir informações de qualquer fonte, mas aqui vamos usá-lo para resolver um problema que freqüentemente temos no techradar - encontrando o byte final do endereço IP.

 

Isso é útil se você quiser acessar seu Pi remotamente, mas não pode configurá-lo com um IP estático porque, por exemplo, você deve movê-lo entre as redes. Normalmente, você pode descobrir os três primeiros bytes da máscara de rede, mas o final pode ser evasivo a menos que você tenha um monitor.

Vamos usar o programa gpio, que é parte do WiringPi. Você pode descobrir mais sobre isso no siteWiringPi.

Ele vem como código fonte, então nós teremos que descompactá-lo e compilá-lo com:

$ tar xvf wiringPi.tgz 
$ cd wiringPi/wiringPi 
$ make 
$ sudo make install 
$ cd ../gpio 
$ make
$ sudo make install

Nós também usaremos bc, então instale-o com:

$ sudo apt-get install bc

Agora, basta o software - com o hardware! Apenas uma rápida palavra de aviso antes de começar - é possível quebrar o seu Pi conectando os fios errados em conjunto, então certifique-se de verificar novamente antes de ligar.

 

 

Figura 2: conecte a placa de pão a esses pinos. Utilizamos conectores de um único pino comercialmente disponíveis, mas você também pode soldar conectores ou usar um cabo IDE antigo

O circuito para isso é muito simples - você só precisa conectar cada saída à perna positiva de um LED, então a perna negativa do LED (mais curto) a um resistor de 1K Ohm e, finalmente, a outra perna do resistor ao comum Chão. Veja os números 1, 2 e 3 nesta página para obter detalhes. Uma vez que você tenha sua placa totalmente configurada conectada ao seu Pi, você pode fazer as coisas acontecerem.

Para começar, usaremos o pino final. Este é o pino 7 (o layout dos pinos não segue um padrão de numeração). Abra um terminal e configure-o para sair com:

 

$ gpio –g mode 7 out


Então você pode ativá-lo com: gpio-g escreve 7 1

E novamente com: gpio-g escreve 7 0

Se você é como nós, você fará isso repetidamente até a novidade desaparecer.

Uma vez que estiver, você está pronto para executar o script. Contém quatro partes. O primeiro apenas define os pinos no modo certo e garante que eles estejam desligados:

 

pins="7 8 25 24 23 18 15 14" 

for x in $pins 
do 
gpio -g mode $x out 
gpio -g write $x 0 
done


O segundo pega o endereço IP de ifconfig, converte-o em binário, depois pads com zeros avançados, se necessário.

 

ipaddress='ifconfig eth0 | grep 'inet ' | awk '{print $2}' | cut -f4 -d'.'' 
binary='echo "ibase=10;obase=2;$ipaddress" | bc' 
paddedBinary='printf %08d $binary'


A próxima parte usa o corte para extrair a parte que queremos dessa string binária e a emite para o pino apropriado.

bit=1 
for x in $pins 
do 
out='echo $paddedBinary | cut -b$bit' 
gpio -g write $x $out 
bit=$((bit+1))
done

E finalmente, dizemos ao script para dormir por cinco minutos, depois desligue os LEDs.

sleep 5m 
for x in $pins 
do 
gpio -g write $x 0 
done

Isso é tudo !

 

 

Figura 3: o circuito simples em toda a sua glória

Crie o script showIP.sh, faça com que ele seja executável com:

$ chmod a+x showIP.sh

Em seguida, digite sudo ./showIP.sh para exibir seu IP. Para que isso seja executado automaticamente na inicialização, basta adicionar esta linha ao rc.local:

 

 

/home/pi/showIP.sh &

Consulte a seção anterior do Controlador de Câmera para obter detalhes sobre como fazer isso.

 

Nós mostramos como enviar saída através do GPIO, mas, como o nome sugere, eles também podem receber entrada. Com isso, é ainda mais importante garantir que você não envie muita energia para os pinos.

Para obter entrada, basta configurar o modo para entrar com o modo gpio -g, então leia o valor com o gpio -g lido.

Este hardware pode exibir quaisquer oito bits de informação, portanto, você não precisa limitar a exibição de apenas endereços IP. Por exemplo, você pode fazer uma versão modificada do script anterior do controlador de câmera para usar os LEDs para indicar seu progresso. Você pode encontrar detalhes sobre a seleção completa de pinos GPIO aqui.

Os pinos que usamos são os mesmos nas revisões 1 e 2 do Raspberry Pi, mas alguns mudaram entre as duas versões. Se você projetar seus próprios circuitos, ou usar os da web, certifique-se de usar os pinos certos para o seu quadro.

Você não precisa se limitar a simplesmente ligar e desligar os pinos. O Pi suporta alguns métodos para passar quantidades maiores de dados através do GPIO. Os dois mais comuns são o barramento de interface periférico serial (SPI) e o circuito inter-integrado (I2C).

Há uma série de dispositivos disponíveis que usam estes, e muitas informações on-line para ajudar você a começar. Então, o que está parando você? Saia do seu ferro de solda e construa um exército robótico.

Gertboards and Arduinos

A conexão direta com os pinos GPIO do seu Pi pode fornecer controle básico de entrada e saída, mas há limitações. Existem dois itens adicionais que você pode obter para ajudá-lo a interagir mais precisamente com o mundo ao seu redor.

O Gertboard é um pacote de expansão bastante completo para conexão entre o seu Pi e o mundo real, incluindo um microcontrolador e uma variedade de opções de entrada e saída. Ele vem como um kit não montado, então você terá que colocar as mãos em um ferro de solda para juntar.

 

Enquanto isso, o Arduino é um microcontrolador que pode se conectar ao seu Pi (ou a qualquer outro computador) através da porta USB. Normalmente, ele vem montado, mas os formulários do kit também estão disponíveis. Em sua forma bruta, tem menos recursos do que o Gertboard (que inclui um microcontrolador Arduino), mas pode ser expandido com uma enorme variedade de escudos.

 

 

 

 

O Sentido HAT permite que seu Raspberry Pi detete o que está acontecendo no mundo ao seu redor

 

Verifique também o Sense HAT oficial, uma placa de conexão que fornece seus sensores Pi para monitorar o mundo exterior. Incluso vem com uma matriz LED para permitir que você exiba dados sem a necessidade de um monitor.

 

Por último, mas não menos importante, o RasWIK é um kit sem fio projetado especificamente para ensinar-lhe como criar sensores e atuadores sem fio - e muitos dos seus projetos incluídos nem exigem soldagem.

 

 

          Yocto Project Compilation by tingtexh   
Please read text, I need customize OS for toradex ARM Board: https://docs.google.com/document/d/1zZ5QzhRyw7LnNd3rbe64CfsAYsnbS1Df33Zy23CkT4M/edit?usp=sharing (Budget: $150 - $450 ARS, Jobs: Arduino, C++ Programming, Embedded Software, Linux, Raspberry Pi)
          Yocto Project Compilation by tingtexh   
Please read text, I need customize OS for toradex ARM Board: https://docs.google.com/document/d/1zZ5QzhRyw7LnNd3rbe64CfsAYsnbS1Df33Zy23CkT4M/edit?usp=sharing (Budget: $150 - $450 ARS, Jobs: Arduino, C++ Programming, Embedded Software, Linux, Raspberry Pi)
          Trackfiles Episode 18 - January 22, 2011   
In this episode, I have a look at a reverse cache, a new way to use Google Earth with your GPS and caching in Australia. Also, there's an interview with a Prince George area cacher that was featured on the local cable station. All this plus Podcast Rewind and upcoming events.
Visit show sponsor Landsharkz.
Links in Show:
Arduino Forum - My reverse geocache with nixie tubes.
(TB3W7NC) TrackMe Geocoin - Rick's reverse geocache
Geo whiz it's fun - Herald Sun
KMZ Overlays - Interior Geocaching
YouTube - How to Create a Garmin Custom Map
GC2JNT5 The Sixth GAS Winter Event Cache (Event Cache) in Alberta, Canada created by s.f.g.
GC2JQ7H Sask Winter Cache Game #3 (Event Cache) in Saskatchewan, Canada created by el_fudgeeo
GC2MBPT Count the Candles (Event Cache) in Georgia, United States created by Crystal
Cache - A - Maniacs
Geocaching Podcast
Centennial State Geocaching
Caching in the Northwest
Geotalk
          intelligens elektronika SIM900 GPRS and GSM Shield Development Board négysávos modul Kit Arduino - Jelenlegi ára: 6 259 Ft   
The GPRS Shield is based on SIM900 module from SIMCOM and compatible with Arduino and its clones. The GPRS Shield provides you a way to communicate using the GSM cell phone network. The shield allows you to achieve SMS, MMS, GPRS and Audio via UART by sending AT commands (GSM 07. 07 , 07. 05 and SIMCOM enhanced AT Commands). The shield also has the 12 GPIOs, 2 PWMs and an ADC of the SIM900 module(They are all 2V8 logic) present onboard.
Features
Quad-Band 850 / 900/ 1800 / 1900 MHz - would work on GSM networks in all countries across the world.
GPRS multi-slot class 10/8.
GPRS mobile station class B.
Compliant to GSM phase 2/2+.
Class 4 (2 W @ 850 / 900 MHz).
Class 1 (1 W @ 1800 / 1900MHz).
Control via AT commands - Standard Commands: GSM 07. 07 & 07. 05
Enhanced Commands: SIMCOM AT Commands.
Short Message Service - so that you can send small amounts of data over the network (ASCII or raw hexadecimal).
Embedded TCP/UDP stack - allows you to upload data to a web server.
RTC supported.
Selectable serial port.
Speaker and Headphone jacks.
Low power consumption - 1. 5mA(sleep mode).
Industrial Temperature Range - -40°C to +85 °C.
Specifications
Application Ideas
M2M (Machine 2 Machine) Applicatoions.
Remote control of appliances.
Remote Weather station or a Wireless Sensor Network.
Vehicle Tracking System with a GPS module.
Cautions
Make sure your SIM card is unlocked.
The product is provided as is without an insulating enclosure. Please observe ESD precautions specially in dry (low humidity) weather.
The factory default setting for the GPRS Shield UART is 19200 bps 8-N-1. (Can be changed using AT commands).
Interface Introduction
Power select - select the power supply for GPRS shield(external power or 5v of arduino).
Power jack - connected to external 4. 8~5VDC power supply.
Antenna interface - connected to external antenna.
Serial port select - select either software serial port or hareware serial port to be connected to GPRS Shield.
Hardware Serial - D0/D1 of Arduino.
Software serial - D7/D8 of Arduino.
Status LED - tell whether the power of SIM900 is on.
Net light - tell the status about SIM900 linking to the net.
UART of SIM900 - UART pins breakout of SIM900.
Microphone - to answer the phone call.
Speaker - to answer the phone call.
GPIO, PWM and ADC of SIM900 - GPIO, PWM and ADC pins breakout of SIM900.
Power key - power up and down for SIM900.
Package Included:
1 x Shield Development Board Module Kit For Arduino.
NO Retail Box. Packed Safely in Bubble Bag.
P089991
Vásárlással kapcsolatos fontos információk:
Köszöntjük oldalunkon!
Az adásvétel megkönnyítése érdekében, kérjük olvassa el vásárlási feltételeinket, melyeket rendelésével automatikusan elfogad.
Kedvezmény: Amennyiben termékeink közül minimum 50 db-ot vásárol, kedvezményt biztosítunk. Kérjük igényelje a kedvezményt ügyfélszolgálatunktól.
US hálózati csatlakozós termékeink esetén, külön rendelhető a termékeink között található US-EU átalakító adapter.
Fontos! Ha a leírásban NEM szerepel, hogy ? We dont offer color/pattern/size choice? (szín/minta/méret nem választható), akkor rendeléskor kérjük mindenképp írja bele a megjegyzés rovatba a kiválasztott színt/mintát/méretet, ellenkező esetben kollégáink véletlenszerűen postázzák. Ez esetben utólagos reklamációt nem fogadunk el.
Ahol a ? We dont offer color/pattern/size choice? kijelentés szerepel, sajnos nincs lehetőség szín/minta/méret kiválasztására. Ilyenkor kollégáink véletlenszerűen küldik a termékeket.
Kommunikáció: minden esetben kizárólag email-ben, mert így visszakövethetőek a beszélgetések.
Hibás termék: visszautaljuk a vételárat vagy újrapostázzuk a terméket megállapodástól függően, miután visszapostázta a megadott címre.
Visszautalás: a vételárat visszautaljuk, vagy a terméket újraküldjük ha nem érkezik meg a termék.
Ez esetben kérjük jelezze email-en keresztül, hogy megoldást találhassunk a problémára!
Garancia: 3 hónap! Amennyiben valóban hibás a termék, kérjük vegye fel velünk a kapcsolatot és kicseréljük vagy visszavásároljuk a terméket megegyezéstől függően.
Számlázás: Az elektronikus számlát (pdf. formátumú) Angliában regisztrált cégünk állítja ki, az ÁFA nem kimutatható, az utalás magyar céges számlánkra történik.
A szállítási idő: az összeg átutalása után 9-12 munkanap, de a postától függően előfordulhat a 25-35 munkanap is! A posta szállítási idejéért cégünk nem tud felelősséget vállalni, az említett szállítási idő tájékoztató jellegű!
Nagyon fontos! Kérjük ne vásároljanak akkor, ha nem tudják kivárni az esetleges 35 munkanap szállítási időt!
strong>Postázás: Termékeinket külföldről postázzuk.
Nagy raktárkészletünk miatt előfordulhat, hogy egy-két termék átmenetileg vagy véglegesen elfogy raktárunkból, erről mindenképp időben értesítjük és megfelelő megoldást kínálunk.
Utalás: Kizárólag átutalást (házibank, netbank) fogadunk el (bankszámláról bankszámlára),   Banki/Postai készpénz befizetést/Rózsaszín csekket ill. egyéb NEM!
Átutalásnál a rendelésszámot feltétlenül adja meg a közlemény rovatba, ellenkező esetben előfordulhat, hogy nem tudjuk visszakeresni a rendelését. Ebben az esetben nyilvánvalóan nem tudjuk a terméket postázni ill. Önt sem tudjuk értesíteni, hiszen nincs kiindulópontunk!
Fizetés/szállítás:
-2000Ft felett (postaköltséggel együtt) CSAK es KIZÁRÓLAG ajánlottan postázzuk a terméket az alábbiak szerint:
-Ajánlott posta esetén az első termékre a posta 890Ft , minden további 250 Ft/db.
- Sima Levélként 2000Ft alatt: az első termékre a posta 250Ft, minden további termék posta díja 250Ft/db.
Átvétel: azoknak a vásárlóknak akik nem veszik át a rendelt terméket a postától és visszaküldésre kerül a termék cégünkhöz, a postaköltség újbóli megfizetésével tudjuk csak újraküldeni, illetve amennyiben az összeget kéri vissza, a termékek árát tudjuk csak visszautalni, postaköltség nélkül. A termék átvétele az Ön felelőssége! Amennyiben a Mi hibánkból nem tudja átvenni, pl téves címzés miatt, így a postaköltség minket terhel.
Amennyiben a megrendelést követő 24 órán belül nem kap emailt tőlünk, ez azt jelenti, hogy az email cím (freemail és citromail esetén főleg) visszadobta a küldött email-t. Ilyenkor küldjön üzenetet egy másik e-mail címről.
Kellemes Vásárlást Kívánunk!
intelligens elektronika SIM900 GPRS and GSM Shield Development Board négysávos modul Kit Arduino
Jelenlegi ára: 6 259 Ft
Az aukció vége: 2017-07-22 03:20
          Man in shootout with Hawthorne police streamed it live on Facebook   
The man who got into a shootout with police in Hawthorne yesterday streamed it live.
          DIY MIDI Fighter by @blitzcitydiy   
Liz (Blitz City DIY) Female DIY-er just published her latest project, an 8×8 Arduino MIDI Fighter on Hackster IO. Liz used 16x 24mm arcade buttons and a Sparkfun pro micro board to make a USB midi controller. She did a fantastic job documenting her project and even put together a video showing her process and […]
          2º Ejercicio de comunicaciones – Voltímetro   
Por Félix Maocho 30/7/2017 . Conocimientos que se precisan Para realizar este ejercicio tal como aquí se resuelve solo se necesitan los conocimientos que se han ido explicando hasta el capítulo “Transmisión de Comunicaciones asíncronas “ que podemos resumir en los siguientes puntos: Saber establecer una comunicación entre la Tarjeta Arduino y el PC y […]
          Microsoft’s latest project embeds artificial intelligence onto bread-crumb size computer processors   

Microsoft Research today announced a new project that embeds artificial intelligence onto bread-crumb size computer processors. This project is called Embedded Learning Library (ELL) and it will help developers build and deploy machine-learned pipelines onto embedded platforms including Raspberry Pis, Arduinos, Micro:bits, and other microcontrollers. Once deployed, the machine learning model can run without connecting to the internet. Removing […]

Read More: Microsoft’s latest project embeds artificial intelligence onto bread-crumb size computer processors


          Comment on Master and Slaves by Livio   
Il sistema theremino non è una scheda come Arduino con le sue istruzioni, ma è un intero ecosistema di applicazioni e di moduli hardware. Le applicazioni sono più di cinquanta e ogni applicazione ha le sue istruzioni e va capita a parte da tutto il resto. Non ci sono istruzioni e comandi del "theremino", non so nemmeno cosa sia "il theremino", forse intendi il modulo Master, in tal caso non ci sono "istruzioni" ma va "configurato" con la applicazione HAL. Credo che sarà necessario aiutarti un po' all'inizio. Ti ho inviato una mail con il numero di telefono, sentiamoci. Se possibile dovresti installare TeamViewer così ti aiuterò a mettere tutto a posto e a capire come mai c'è quell'errore. Se non sai cos'è TeamViewer telefonaci e lo avvieremo insieme.
          Leitura de touchscreen capacitivo com Arduino   
A leitura de touchscreen de diversos teclados nem sempre é uma tarefa fácil. Um dos primeiros que surgiu no mercado, o touchscreen resistivo, é relativamente fácil de ler, mas com um inconveniente de ler apenas um único ponto tocado na tela.
Celulares modernos possuem um touchscreen capacitivo, permitindo a leitura em vários pontos simultaneamente. Geralmente touchscreen capacitivo possuem um controlador dedicado.
No blog Weatherhelge existe um projeto com Arduino onde o autor conseguiu ler um controlador de touchscreen capacitivo GSL1680 de um LCD de 5 polegadas.
Não deixe de conferir em https://weatherhelge.wordpress.com/2015/02/09/5-capacitive-touch-panel-with-gsl1680-upn-running-with-arduino/

touchscreen capacitivo Arduino

Se você gostou deste post, não deixe de compartilhar em suas redes sociais, ou ainda deixe uma sugestão ou crítica para deixar o Portal MCU cada vez melhor
          Shield BASIC para Arduino   
O BASIC foi um dos primeiros produtos da Microsoft, a velha conhecida dos Windows da vida. A ideia do BASIC é que qualquer pessoa possa desenvolver um programa em seu computador. Claro que isso começou na década de 70 e durante um bom tempo era a forma de se desenvolver "aplicativos" como jogos, etc.
Hoje é possível ter uma versão usando um microcontrolador, gerando sinal de vídeo, som e permitir a execução de programas escritos nesta linguagem.
No site Instructables existe um projeto de shield Arduino que possui um microcontrolador com um firmware capaz de gerar sinal de vídeo, juntamente com o interpretador BASIC.
Não deixe de conferir em http://www.instructables.com/id/Arduino-BASIC-Shield/?ALLSTEPS
BASIC Arduino

Se você gostou deste post, não deixe de compartilhar em suas redes sociais, ou ainda deixe uma sugestão ou crítica para deixar o Portal MCU cada vez melhor

          Bargraph retrô anos 80 com Arduino   
Nos anos 80, a maioria dos aparelhos de som, amplificadores e outros equipamentos de som, era comum o uso de Bargraph para indicar a "potência" sonora em algumas faixas de frequência, dando um charme especial ao equipamento.
Naquela época era comum projetos com o LM3914 que é vendido até hoje. Com a facilidade do uso do Arduino e usar a Transformada Rápida de Fourier podemos fazer um Bargraph com muita facilidade.
No site Instructables tem um projeto interessante usando um Arduino e módulo de matriz de LEDs, relativamente fácil de montar.
Não deixe de conferir em http://www.instructables.com/id/Back-to-the-1980s-with-the-Graphic-EQ/?ALLSTEPS

Barghaph com Arduino

Se você gostou deste post, não deixe de compartilhar em suas redes sociais, ou ainda deixe uma sugestão ou crítica para deixar o Portal MCU cada vez melhor

          Raspberry Pi Smart Home Control: Domótica com Arduino e Raspberry Pi   
Hoje em dia é fácil automatizar residências, comércios e imoveis em geral graças ao baixo preços dos kits e a facilidade de encontrar materiais para que qualquer pessoa possa fazer o seu sistema.
O site tailandês http://smart-homecontrol.com/ oferece serviço de Domótica para qualquer residência, usando todos as formas de acesso: smartfone, tablet, notebook, etc., usando aplicativos Android.
A nossa sorte é que um blog  http://androidcontrol.blogspot.com/ possui o projeto. Foi usado um Arduino, uma placa com relés, Raspberry Pi e um roteador wireless modificado com o OpenWRT.
Mais detalhes você poderá ver em http://androidcontrol.blogspot.com/2014/09/raspberry-pi-smart-home-control.html

Raspberry Pi Smart Home Automation Control

Se você gostou deste post, não deixe de compartilhar em suas redes sociais, ou ainda deixe uma sugestão ou crítica para deixar o Portal MCU cada vez melhor
          Monitoramento de cafeteira com Arduino   
A ideia de monitorar uma cafeteira é relativamente antiga, e existe desde os primórdios da Internet. A cafeteira da Sala Trojan da Universidade de Cambridge foi a primeira transmissão ao vivo da Internet, usando uma câmara para monitorar uma cafeteira.
Desde então muitos usam a grande rede para monitorar e controlar quase tudo. Patrick Fenner escreveu um artigo para o site http://www.deferredprocrastination.co.uk sobre a forma que ele monitorou uma cafeteira usando Arduino e uma pequena balança para saber, por exemplo, quantas xícaras a cafeteira poderá servir, sendo os dados enviado a uma planilha, atualizado constantemente.

Não deixem de conferir este projeto em http://www.deferredprocrastination.co.uk/blog/2013/coffeebot-monitoring-with-arduino/.

Cafeteira e Arduino

Se você gostou deste post, não deixe de compartilhar em suas redes sociais, ou ainda deixe uma sugestão ou crítica para deixar o Portal MCU cada vez melhor
          KIM Uno: um clone caseiro do KIM-1 com Arduino   

No site http://obsolescence.wix.com/ tem um projeto interessante, onde o original e o seu clone separados por 40 anos!
O KIM-1 foi um kit baseado no microprocessador 6502 lançado em 1975, um sucesso pela facilidade de expansão e permitindo várias pessoas a entrar no mundo da programação.
Claro que depois de 40 anos, muita coisa mudou, e o projeto em questão, o KIM Uno utiliza um Arduino Pro Mini, emulando o clássico 6502, mais alguns componentes para a criação do clone do KIM-1.
Não deixe de conferir este projeto em http://obsolescence.wix.com/obsolescence#!kim-uno-summary/c1uuh


KIM Uno Arduino

Se você gostou deste post, não deixe de compartilhar em suas redes sociais, ou ainda deixe uma sugestão ou crítica para deixar o Portal MCU cada vez melhor
          Sensor de pressão com Arduino   
Os sensores de pressão de uma forma geral podem ser usados em aplicações industriais e domesticas.
A conexão com o Arduino ou qualquer microcontrolador deve ser feita usando o princípio da Ponte de Wheatstone, usando um circuito condicionador usando amplificadores operacional.
No site http://www.circuitstoday.com/ mostra a forma correta de usar o sensor de pressão SPD005G da Smartec ao Arduino com o uso do amplificador operacional LM324, com exemplo de código.
Não deixem de conferir este projeto em http://www.circuitstoday.com/interfacing-pressure-sensor-arduino


sensor de pressão com Arduino

Se você gostou deste post, não deixe de compartilhar em suas redes sociais, ou ainda deixe uma sugestão ou crítica para deixar o Portal MCU cada vez melhor
          TL431 como monitor de tensão de bateria   
O CI TL431 é muito usado em fontes chaveadas, tensão de referência em conversores analógico-digital usados em microcontroladores ou Arduino, comparadores de tensão, fontes lineares, sendo perfeito em muitas aplicações.
Vladimir Rentyuk escreveu para o site EDN um circuito capaz de monitorar uma tensão com o TL431 e poucos componentes. Não deixe de conferir este circuito em http://www.edn.com/design/analog/4326504/Shunt-regulator-monitors-battery-voltage.

Monitor de bateria TL431


Se você gostou deste post, não deixe de compartilhar em suas redes sociais, ou ainda deixe uma sugestão ou crítica para deixar o Portal MCU cada vez melhor
          Iluminação de aquário com Arduino   
É muito bacana quando vemos um lindo aquário, muito bem cuidado e bem ornamentado. Logicamente que para manter um aquário em ordem, muitas vezes gastamos um valor considerável, não só em peixes mas na personalização, incluindo sistemas de areação e iluminação.
Claro que com elementos que conhecemos bem como Arduino e eletrônica, podemos fazer as personalizações que em não encontramos em produtos comerciais.
No site https://sites.google.com/site/willsrobotics encontramos um projeto interessante de iluminação de aquário com LEDs e tudo controlado com Arduino, controlado por PWM
Não deixe de conferir este projeto em https://sites.google.com/site/willsrobotics/aquarium-light-v1

Iluminação de aquário com Arduino

Se você gostou deste post, não deixe de compartilhar em suas redes sociais, ou ainda deixe uma sugestão ou crítica para deixar o Portal MCU cada vez melhor

          Medição de vazão com Arduino   
Medição de vazão é necessário em alguns projetos, como por exemplo o controle de uma certa quantidade de água que passa em um cano, muito útil para automatizar o consumo de água em uma residência.
Um projeto simples mas interessante mostrado no blog http://themakersworkbench.com/ mostra como conectar um sensor de fluxo é conectado em um Arduino para a leitura do mesmo.
Não deixe de conferir este projeto em http://themakersworkbench.com/content/tutorial/reading-liquid-flow-rate-arduino

sensor de fluxo de liquido com Arduino

Se você gostou deste post, não deixe de compartilhar em suas redes sociais, ou ainda deixe uma sugestão ou crítica para deixar o Portal MCU cada vez melhor
          Commenti su Tutorial: passare valori dal PC ad Arduino per via seriale di admin   
Si, se gestisci le stringhe ricevute da Arduino, comprendendo la loro codifica in altrettanti comandi od operazioni che vuoi eseguire.
          Commenti su Tutorial: passare valori dal PC ad Arduino per via seriale di simone.bergamo   
Ciao Fabio, con un approccio simile, al posto del pc potrei collegare anche un dispositivo (es. una bilancia elettronica) che spara stringhe sempre tramite seriale? Ovviamente non con la logica di comandare un servo motore...
          Cheap Chinese STM32F103 boards   

I recently ordered a bunch of STM32F103 boards from China. They have a rectangular footprint like the Teensy or Arduino Micro, and a 48-pin STM32F103C8T6 MCU on board -- a 72MHz Cortex-M3 with 64kB of flash and 20kB of RAM. It's just the single MCU chip on board, with a bootloader, and the SWD pins brought out to a header, which should make it quite flexible; I'll be able to program/debug them with Eclipse and OpenOCD if I want full control, or I can use the STM32duino Arduino port if I just want to push code to them. The best part is that they only cost $2.25 each on Aliexpress, or about $3.50 on eBay, which is about half the cost of the chip alone when bought in the US.

The boards I've ordered are 2.1" long by 0.9" wide, with a rows of 20 pins along each side, and 0.6" from the center of one row to the other. I've made a KiCad part and footprint for them:

Part/library → myelin-kicad-libraries/stm32f103c8t6-module-china.lib

Footprint/module → myelin-kicad.pretty/stm32f103c8t6-module-china.kicad_module

These should be good for controlling LEDs over USB, or for soldering into projects where I feel that a Teensy would be too expensive.

Comment


          CMSIS-DAP work: implemented raw JTAG support, and ported the HID firmware to Pro Micro and Teensy 3.2   

While I am so happy to have my J-Link back, the couple of weeks without it have been very productive in terms of open source contributions. After finding out that OpenOCD didn't support raw JTAG mode on CMSIS-DAP adapters, I bit that off as a potential project, and eventually got it working, then did some performance tuning, and I'm pretty pleased with it now. With my LPC-Link2, it can program the flash in an ATMEGA32U4 over JTAG at about 1/4-1/3 of the speed of the J-Link (which is kind of a speed demon). I'm going to let it soak on GitHub for a while, then clean it up and submit it to OpenOCD once it's had a bit of scrutiny.

Clone myelin/openocd and check out the cmsis-dap-jtag branch to try it out.

Implementing this required getting pretty familiar with the CMSIS-DAP source code and protocol, and at some point I realized that it wouldn't be super hard to port the SWD/JTAG debugger part of the CMSIS-DAP firmware over to any USB capable microcontroller. Full CMSIS-DAP support requires the debugger part, plus a serial port and a mass storage device emulator that's also capable of flashing a .bin file to a chip, but I'm not doing this to provide a USB interface to a custom board (like the ones on the mbed site), so I've skipped those two. I'll probably add in the serial port sometime, because I wrote serial bridge code for teensy-openocd-remote-bitbang already.

This was mainly a matter of getting rid of Keil-specific code, plus a small amount of debugging:

  • The _OUT functions (e.g. PIN_SWDIO_OUT) take a uint32_t with a boolean value in the LSB, but often junk in the higher bits.
  • A 32-bit processor is expected, so there was one point where I needed to add (uint32_t) casts to avoid losing the high bytes of a word.

So here's CMSIS-DAP firmware for your Pro Micro (ATMEGA32U4) or Teensy 3.2 (MK20DX256) board.

Enjoy!

Comment


          Using a Teensy as a USB-Serial bridge to program an ESP8266   

Hopefully in future I'll be able to program my ESP8266 modules using JTAG, but I have a project from last year which used the ESP8266, didn't bring out the JTAG pins, and tied GPIO15 (TDO) to ground, which means it would require desoldering the ESP-03 module to fix. I programmed it using the ESP8266 Arduino extension and a Sparkfun FTDI Basic Breakout board, which unfortunately doesn't bring out RTS, which meant for a lot of power cycling. To make matters worse, the FT232 seems to crash sometimes when subjected to this sort of thing, losing control of its DTR output and needing power cycling *itself*.

I happen to have a couple of Teensy 3.2 boards here, however, and they're super easy to program up to act as a more flexible serial adapter. Here's the sketch I ended up with, which happily programs my ESP-03 at the max upload speed selectable in the ESP8266 Arduino IDE, 921600 baud, and with any luck will work with the ESP GDB stub:

// Simple USB-Serial bridge for programming ESP8266 modules

// new connector:
// GND (black) RXD (grey)  GPIO0 (brown)
// 5V (n/c)    TXD (white) RTS (purple)

// RX2 = pin 9, white wire, connects to ESP8266 TX [saleae ch0]
// TX2 = pin 10, grey wire, connects to ESP8266 RX [saleae ch1]
#define HWSerial Serial2
// DTR = pin 11, brown wire, connects to GPIO0 on the ESP8266 [saleae ch2]
#define DTR_PIN 11
// RTS = pin 12, purple wire, connects to CH_PD on the ESP8266 [saleae ch3]
#define RTS_PIN 12

uint32_t current_baud = 9600;
uint8_t current_dtr = -1, current_rts = -1;

void setup() {
  Serial.begin(9600); // fake value -- USB always 12Mbit
  HWSerial.begin(9600);
  pinMode(RTS_PIN, OUTPUT);
  digitalWrite(RTS_PIN, LOW);
  pinMode(DTR_PIN, OUTPUT);
  digitalWrite(DTR_PIN, HIGH);
}

void loop() {
  if (Serial.available() > 0) {
    uint8_t c = Serial.read();
    HWSerial.write(c);
  }
  while (HWSerial.available() > 0) {
    Serial.write(HWSerial.read());
  }
  // update params
  uint32_t baud = Serial.baud();
  if (baud != current_baud) {
    current_baud = baud;
    HWSerial.begin(current_baud);
  }
  uint8_t rts = Serial.rts();
  if (rts != current_rts) {
    current_rts = rts;
    digitalWrite(RTS_PIN, current_rts ? LOW : HIGH);
  }
  uint8_t dtr = Serial.dtr();
  if (dtr != current_dtr) {
    current_dtr = dtr;
    digitalWrite(DTR_PIN, current_dtr ? LOW : HIGH);
  }
}

Comment


          Debugging the ESP8266 with JTAG -- breakout board with an SWD-style JTAG connector   

I found out a few days ago that it's possible to debug the ESP8266 using JTAG (and the Xtensa-specific xt-ocd, or the open source OpenOCD). It looks like work to make this possible has been going on for about a year now, as well as related work to develop UART-based GDB stubs (there's now an official one!).

This doesn't seem to have attracted nearly as much attention as I would have thought. Maybe because hobbyists nowadays are used to the Arduino platform, which doesn't include any on-chip debugging support? (Unless you cut some traces and plug in an Atmel ICE unit.) The ubiquitous availability of on-chip debugging is probably my favourite thing about working with ARM Cortex-M chips; it's kinda painful to go back to an environment where I don't have access to that. I'm currently working on some DMX512 hardware, and recently had a yak-shaving-like need to implement my own non-blocking software UART; this wouldn't have been possible without being able to breakpoint and single-step using KDS, SWD, my J-Link, and my Saleae Logic 8.

Anyway, I'm super excited to give this a try on an ESP8266. Unfortunately all my ESP-03 modules are soldered into boards that tie GPIO15/MTDO to ground, and otherwise I only have a couple of ESP-01 units, which don't bring out the JTAG pins.

So... time to get an ESP-12 or two, and whip up a board with all the bits and pieces JTAG requires!

JTAG is an old interface/protocol, and is designed to daisy chain through a bunch of chips, so it has much more in the way of pullup/pulldown requirements than SWD. Here's what I ended up putting on my board:

- Pulldown on TDO. This should really be a pullup, except that TDO/GPIO15 is part of the boot_sel combo (GPIO15:GPIO0:GPIO2), which has to be 011 to boot from flash, so GPIO15 must be pulled low if you ever want to boot without an attached debugger.

- Pulldown on TCK. This is also nonstandard; most JTAG diagrams show no pull resistors on TCK, but have it terminated with 68R and 100pF in series to ground. ARM recommends a pulldown, though -- to avoid spurious clock edges during hot-plugging -- so I'm going with that.

- Pullups on TDI and TMS. This is standard JTAG.

- Pullups on CHIP_EN and /RESET -- always required on the ESP8266.

I chose to use an SWD-style 2x5 1.27mm connector, which will hopefully let me connect this to my J-Link using the same cable that I use for ARM debugging. Here's how the board looks:

Sending this off to OSHPark shortly! Design files and most recent gerbers are on GitHub.

Comment


          An Arduino Compatible Hexapod   
I had a chance to build the iitsii Robugtix hexapod and took some time to play with BigFoot Inverse Kinematics engine that comes with the platform. The engine really simplifies the gait management with the six legged platform. The build was easy, even though you have to manually position 18 servo motors by hand, also […]
          Serieller Monitor in der Arduino Software (IDE)   
In der Arduino Software 1.6.9 kann man einen seriellen Monitor (Terminal) starten. Wenn zwei Arduinos mit dem Computer verbunden sind, läßt sich nach meiner Erkenntnis kein zweiter Monitor starten. In solchen Fällen kann Putty als Terminal verwendet werden.  
          Projekte mit Mikrocontrollern   
Sie möchten ein Projekt mit einem Mikrocontroller realisieren? Ich helfe Ihnen gerne weiter. Erfahrung mit den Arduino-Systemen auf Basis des ATMega328 ist vorhanden.
          Comentario en Display múltiple de 7 segmentos por Vicente García   
Hola David. Es un proyecto atractivo, aunque tiene su complejidad, si te atreves. Tiene sus problemas el hacer este tipo de programas conlleva mucho cuidado con los espúreos se te cuelan por todas partes, más por el tipo de contactos de los flippers y demás. <code>– Bolas en juego Arduino debe saber cuantas bolas quedan en la partida y si se añade bola extra</code> Este punto es el más sencillo; un contador regresivo y un comparador con el marcador de puntos, cuando coincida lo previsto, se suma uno, en caso contrario al llegar a 0, se acaba la partida. Repito los problemas quizás te surtan con los contactos de Bumpers y Dianas. Desparasita con filtros estos puntos. Espero te sirva de orientación.
          Comentario en Display múltiple de 7 segmentos por Vicente García   
Hola JAVIER AMEZCUA. No tengo información sobre el Arduino Mega 2560 y su comportamiento con el tema de los millis(), tendrías que consultar en el foro de Arduino. Tal vez sea una cuestión de las librerías, en algunas ocasiones he observado un comportamiento extraño, al usar un viejo programa que siempre funcionó y en la actualidad, al cambiar la versión del IDE y las librerías, se produce un quebranto en los comportamientos del programa en concreto, si ya se que suena raro, pero no alcanzo a comprender porque este extraño comportamiento, también puede ser debido al cambio de S.O., ante usaba el XP y actualmente el Windows 10 (otro que tal). De todas formas trato de encontrar una solución a estos comportamientos no adecuados. Siento no poder ayudarte de otra forma, por el momento. Saludos.
          Comentario en Voltímetro Digital con Arduino. por Luiz   
Hola buenos dias. Lo siento por mi pésimo español. No es mi lengua nativa. Tengo un circuito exactamente como lo que describió en el artículo y, obviamente, puedo hacer las lecturas de tensión. Tengo un problema y me gustaría saber si me puede ayudar. Este circuito sólo me permite medir tensiones si la polaridad es correcta. Por ejemplo, el negativo del circuito debe estar en el negativo de una pila y el positivo del circuito debe estar en el positivo de la pila. Sucede que necesito también que pueda medir si la polaridad está invertida. Es decir, que así como en un multímetro, nos proporcione la lectura del voltaje con el signo de menos. ¿Sabría cómo puedo resolver esto tanto en el circuito y en la programación? Si sabes podría decirme o incluso publicar algo del tipo en el blog? Desde ya lo agradezco.
          Comentario en Display múltiple de 7 segmentos por David   
Estimado Vicente, muchas gracias por tu blog, este me a ayudado mucho aprendiendo sobre arduinos y a como programarlos, te explico un poco lo que quiero hacer y me gustaria mucho que me ayudes un poco o mucho... estoy haciendo un flipper o pinball (flipper le llamamos en chile) y estoy buscando informacion de cómo hacer el tablero de puntuación con arduino R uno (o cualquier otro) y quiero hacer lo siguiente: - Puntuacion la puntuacion sera en 3 partes basicas de un pinball con 3 candidades de puntos diferentes Basicos tablero - 100 puntos Bumper - 1000 Dianas - 500 - Bolas en juego Arduino debe saber cuantas bolas quedan en la partida y si se añade bola extra 3 marcadores fijos. que iluminare para que ponga el nombre del pinball 1 Marcador para puntos 1 Bola en juego 1 Creditos no sé si puedas ayudarme con esto, tengo conocimientos en electrónica, por lo que necesitaria saber que componentes necesito para esto... si tiene tiempo y quiere ayudarme, expondria mi trabajo en su blog con fotos detalles y los creditos a usted.... Saludos David
          Comentario en EL ESP8266 como Arduino. por damian bertoni   
Muy bueno el articulo, existe manera de saber el estado de los GPIOs , sabiendo que los puedo alterar desde varias aplicaciones, (sea celular, pc, notebook, etc ???
          Comentario en Voltímetro Digital con Arduino. por Vicente García   
Hola Roberto Fernandez. En el propio artículo viene descrito el motivo y porqué del condensador, fíjate: <code>Suponiendo que la impedancia de entrada es razonablemente alta, incluso un pequeño condensador de 10nF, permitiría que el pico de voltaje AC a través del condensador pueda alcanzar la tierra. Utilice los cálculos originales R1 / R2 para el rango de tensión apropiado, pero no se olvide de la caída de tensión directa (0.65V) a través del diodo. A ser posible, utilice un diodo Shottky para reducir esta a 0.3V, si está tratando bajos voltajes.</code> Creo que está bastante claro.
          Comentario en Voltímetro Digital con Arduino. por Roberto Fernández   
Hola Vicente, Hablas de que es necesario poner un filtro de paso alto para evitar las interferencias por ruido. Veo que en el circuito pones un condensador de 100 uF, ¿podrías explicar por qué usar un condensador simplemente, en vez de utilizar el típico filtro RC? Muchas gracias
          Comentario en Display múltiple de 7 segmentos por Nikko   
amigo vicente necesito una ayuda tener una progrmacion de arduino de 0 al 9 pero quiero que cuando desconecte el arduino se quede en el numero que lo desconecte me entiende¡ osea que no se reinicie a 0 cuando se vuelva concentar sin boton
          Comentario en Display múltiple de 7 segmentos por Vicente García   
Hola Francisco. Me parece muy bien su punto de vista, sin duda, habrá observado que hay otras formas de hacer que funcione un display asumiendo que es un contador/descontador, mediante circuitos estándar (TTL, CMOS), y funcionan adecuadamente. Sin embargo, usted quizás si siquiera sospecha el motivo de porque los técnicos se empeñan en utilizar microcontroladores o incluso microprocesadores para realizar aquí contadores, allá displays con funciones en 2D y 3D, por poner dos ejemplos. Le diré que esto es debido a la flexibilidad en el manejo. De pronto, con un Arduino (por poner su ejemplo), y un mini código, se muestra un contador, y con unas pocas líneas, se ha convertido en un detector de intrusos y le envía por e-mail un aviso de que su casa esta siendo asaltada, o puede que con el cambio de unas líneas pueda manejar un sistema de luces y controlar todos los utensilios de su casa. Dígame usted, cuantos cableados necesitaría modificar para pasar de un contador a un control de proximidad, seguro que deberá realizar un circuito impreso diferente para cada propuesta y también sabe el costo que esto significa, ya no le digo que cómo haría para enviar un e-mail con el aviso. Es sólo a modo de ejemplo, recuerde, siempre hay un buen motivo para mejorar las cosas y eso se llama progreso. Espero haber aclarado sin ánimo de ofender, un tanto su punto de vista. Saludos.
          Comentario en Display múltiple de 7 segmentos por Francisco   
Porque se empeñan en hacer todo con arduino ?????? La verdad si esperan ser ingenieros electronicos/electricos o sin solo aficionados de la electronica se deberia hacer uno de diferentes herramientas (aestables , monoestables , 555) , no simplemente agarrar un arduino y meter un codigo que puede deducir hasta un niño de 6 años. Perdon pero estoy cansado de ver tanto arduino en donde se supone que la gente tiene un manejo mediano de la electronica
          Comentario en voltamp-con-arduino+lcd- por diego   
hola, e montado el sketch del voltimetro/amperimetro, pero hasta que no me llegue el modulo ACS712 no lo puedo probar. si le agradeceria que me pudiera mandar a mi correo un esquema mas limpio, ya que con el modulo en la pcb, no distingo bien las conexiones. muy agradecido.
          Comentario en Voltímetro Digital con Arduino. por diego   
Hola ya e conseguido que entre el sketch, había cosas cambiadas y mirando el video las e ido poniendo bien. No se por que pasa estas cosas, pero pasan . Y preguntar cuando podríamos tener el sketch del voltimetro y amperimetro , seria estupendo. gracias
          Comentario en Voltímetro Digital con Arduino. por diego   
Hola, e metido el sketch en el arduino, y me da fallo en if (index <=20) no se que ocurre. si me puedes ayudar, gracias
          Vorstellung des Arduino MKRFOX1200   
Das neue Mikrocontroller-Board in der Arduino-Familie ist klein, leistungsstark, verfügt über ein GSM-Modul und für die Datenübertragung muss zwei Jahre nichts bezahlt werden.
          Fussballroboter Wisoccero - Petunia Tech   
Wisoccero ist ein fußballspielender Roboter, der auf einem Arduino Mega basiert. Entwickelt wurde er von dem US-Unternehmen Petunia Tech.
          FluoWiFi - Kickstarter   
Über Kickstarter stellt ein Arduino-Gründer ein neues, Arduino-kompatibles Mikrocontroller-Board vor. Neben dem klassischen Atmel-Controller befindet sich auch ein ESP32 auf dem Board.
          C10 Remote   
C10 Remote

C10 Remote

A handy and very durable control remote for integration on tripod handles, microphone booms or wherever your setup requires. The C10 Remote is perfect for switching video while you operate a camera on a Tripod.Nothing less than a vision to put the power of control where it's needed. With this flexible wired remote control you have easy access to control ATEM Switchers from Blackmagic Design. This all-included remote has a mounting plate on the backside compatible with camera mounting systems so it’s easy to clamp onto a tripod handle.Our in-house developed microprocessor board, the SKAARDUINO Due, has an amazing small footprint and fits inside the body of the remote. Power over Ethernet (PoE) is included by default so you can either use the power supply or a PoE compatible switch/hub to power the remote - either way will work.The thumb-friendly buttons makes it easy to operate the remote handheld, or you can attach it to a tripod handle bar by the mounting plate on the back  


          RCP Mini - Compact and Versatile Shading Panel for BlackMagic Cameras   
RCP Mini - Compact and Versatile Shading Panel for BlackMagic Cameras

RCP Mini - Compact and Versatile Shading Panel for BlackMagic Cameras

We present the RCP Mini - a remote control panel (RCP) for BlackMagic Cameras, such as the URSA Mini (+ Pro) and the Studio Camera series. The RCP Mini is a highly versatile control panel designed with OLED displays and user friendly buttons which makes it a panel that offers both ease of operation and multi-functionality. The RCP Mini is a little brother to our highly popular RCP, and although it´s more compact you can still control cameras without the need of an ATEM switcher thanks to the BMD Arduino Shield inside. Blackmagic Arduino Shield - Embeds CCU data on the 3G-SDI return feedOn the backside of the controller, you find a 3G-SDI in and out BNC plug. Route the return feed to the camera through this connection to insert CCU data on the signal.If you use the BlacMagic 3G-SDI Arduino Shield for camera control the following output formats are supported: 720p50, 720p59.94, 720p60, 1080i50, 1080i59.94, 1080i60, 1080p23.98, 1080p24, 1080p25, 1080p29.97, 1080p30, 1080p50, 1080p59.94 and 1080p60.Camera SupportThe RCP Mini controls any BlackMagic camera that supports CCU over the return SDI feed. This includes the Micro Studio Camera 4K, Studio Cameras and the URSA Mini (+ Pro). The CCU data is inserted on the SDI return feed. Sony Form - Factor same dimensions as a Sony RCP-1000 seriesThe RCP Mini has the same form factor (width and height) as the Sony RCP-1000 series. Depth is slightly larger.Dimensions (W x H x D): 68 x 244 x 140 mm (top of joystick)Weight: 0.770 kgBMD ATEM and VideoHub supportThe RCP Mini feature a push button on the top of the joystick that will bring up the source on a local monitor. This can be achieved in three ways: Through the AUX output of an ATEM switcher (so, the RCP Mini will have to be connected to an ATEM switcher Through connection to a VideoHub which will route sources to the monitor Via a traditional Sony DB-9 relay plug (pin 1+2+3), also known as "EXT I/O".  


          RCP panel for CCU control of BlackMagic URSA Mini (+ Pro) and Studio Camera series in a Sony form factor.   
RCP panel for CCU control of BlackMagic URSA Mini (+ Pro) and Studio Camera series in a Sony form factor.

RCP panel for CCU control of BlackMagic URSA Mini (+ Pro) and Studio Camera series in a Sony form factor.

CCU control of BlackMagic Design cameras has been notoriously difficult through software only. We have already specialised in CCU control of multiple cameras (ATEM CCU & ATEM CCU Lite) but now we present a Sony form factor remote control panel (RCP) for BlackMagic Cameras, such as the URSA Mini (+ Pro) and the Studio Camera series. The RCP even allows you to control cameras without the need of an ATEM switcher thanks to the BMD Arduino Shield inside. Blackmagic Arduino Shield - Embeds CCU data on the 3G-SDI return feedOn the backside of the controller, you find a 3G-SDI in and out BNC plug. Route the return feed to the camera through this connection to insert CCU data on the signal.If you use the BlacMagic 3G-SDI Arduino Shield for camera control the following output formats are supported: 720p50, 720p59.94, 720p60, 1080i50, 1080i59.94, 1080i60, 1080p23.98, 1080p24, 1080p25, 1080p29.97, 1080p30, 1080p50, 1080p59.94 and 1080p60.Camera SupportThe RCP controls any BlackMagic camera that supports CCU over the return SDI feed. This includes the Micro Studio Camera 4K, Studio Cameras and the URSA Mini (+ Pro). The CCU data is inserted on the SDI return feed.


          微软全新项目发布:将AI芯片压缩成面包屑大小   
  微软研究院今年发布了一个全新的项目——将人工智能嵌入一个如同面包屑大小的处理器中。   该项目称为“嵌入式学习库(ELl)”,它将帮助开发人员将机器学习模型构建并部署在像树莓派、Arduinos这样的嵌入式平台上。 ▲图片来源:MSPo […]
          Maker builds a touchless tattoo machine switch with Arduino   
You can switch a tattoo machine on and off with a foot pedal, but this can be an issue when it’s time to pack it up with other gear that needs to be kept ultra-clean. To address this problem, YouTuber “Wildman Tech” made an Arduino-powered device in the shape of a beautiful wooden pyramid to control […]
          A Respectable Firmware and Router   
After delving more into the newer firmware and router Jonathan and Devon were using I felt really bad about using the processing router and older firmware. So I went through and converted the new firmware over to be compatible with the shield, and also have some instructions on using the python router.

For the Octinct use this software:
To get the python router running on windows, you need to do the following:

  1. Install Python 2.6 (I don't believe all the libraries are 3.0 compatible)
  2. Install SimpleOSC (I used v0.2.5)
  3. Install pyserial (I used 2.4)
  4. Install pywin32 (There is a version for python 2.6)
  5. Download Devon Jones Python router (see above)
  6. Edit SerialTinct.py and designate the correct comport windows users can use a value like "com17"
  7. From the command line run "python SerialTinct.py"
  8. Pat yourself on the back
To install SimpleOSC read the readme.txt that is included with it, the rest of the binaries should install the libraries for you.

If you look in the firmware you will see a serial string case for setting RGB values, which then are used by led, row, column commands of the monome protocol. You can use this to start writing RGB apps without needing to modify the firmware.

osc.sendMsg(prefix + "/rgb",[255,0,0],"127.0.0.1",8080)

The above will set the working color for R,G,B respectively. The value specified is multiplied by 16 to achieve the brightness value the 5940 is fed.
          Octinct Overview   

octinct running boiingg from dr unsped on Vimeo.

Checkout all the Vimeo Videos and my Flickr feed and read the comments, they have very useful information in them.

The Octinct, from a hardware standpoint is an interesting beast. An Octinct consists of 4 'Tinct' buttonpads. Each buttonpad consists of an integrated tlc5940 16-channel 4096 step led pwm driver, each led on the buttonpad is driven by its own channel, and they are not multiplexed. The tlc5940 is capable of sourcing 150ma per channel, but for our purposes we use 20ma max, this current is set with a resistor on the 5940/buttonpad. The Tinct's connection to the outside world is either via a 24-pin idc cables, or a row of headers. The headers are generally only used for troubleshooting or breadboarding, both contain the same types of pins and are connected to each other.

Like the sparkfun rgb buttonpads (the tinct uses sparkfun rgb buttonpad membranes), header pins are provided for column/row decoding of buttonpresses , while diodes provide descrete buttonpresses. The idc connector allows the buttonpads to be tied together without the nasty cabling/wiring that you might be famliar with on an arduino, however at the cost of redundant wiring.


The 5940 communicates with the arduino via spi, and when connected as an Octinct the 5940's are chained together, one output going to anothers input. This is done on the arduino side, as all Tinct buttonpads are identical. The 5940's are not by nature rgb, they are considered grayscale drivers, so 3 transistors are located on the buttonpad allowing each color channel to be activated or deactivated, for the sake of the 5940 only a single color channel should be activated at any given time.


The Octinct controller bridges the Tinct buttonpads together, routing spi data as appropriate. It also incorporates 2 shift registers like the arduinome/monome to decode the buttonpresses. Because 2 of the Tinct boards are rotated on the Octinct, the button column/row pinout to each idc connector changes quite a bit. The Octinct controller houses the 12 transistor base resistors, controlling the amount of current used to turn on/off a color channel. The heavy version also has a breakout connector for applying outside regulated current should you chose to run your Octinct on current beyond the arduino's onboard regulator.


Putting it all together you have a control shield that sits on top of an arduino, from there 4 idc cables attach to 4 Tinct buttonpads ... which gives you ... drumroll an Octinct (let's just say the Oct means 8 rows/columns).


          Octinct Building Considerations   
The Octinct is not what i would characterize as a refined product much as the Arduinome. Instead it is a reasonably thought out development platform for an RGB monome or similar device. As such there are some caveats:

Buttonpad capacitor decoupling

The current buttonpad design does not incorporate a bypass capacitor, which is something I feel as neccessary for consistent and proper function. More info about retrofitting bypass capacitors onto the buttonpads can be found on my flickr feed.


Backwards transistor silkscreen on buttonpad

The base is fine being in the middle, but the transistors on the buttonpads need to be rotated 180 degrees or 'backwards', essentially you are swapping the collector and the emitter.

Lack of established RGB protocol


Currently the Octinct firmware simply changes colors based on led on/off events. Cycling through the colors, while this is very pretty it is not very useful. I have no plans on developing a RGB protocol so I leave it up to you and the Arduinome team to do what you do best.

Power considerations

Even though the Octinct mux's the color channels it is still capable of drawing 320ma per panel, or 1.2amps for all 4 panels. This is well above the 500ma onboard regulator of the arduino, and definitely above the 100ma max of the usb spec. What I have done to get around this use 4.7k resistors on the iset of buttonpads, this gives you less than 100ma per board at full brightness, the downside is that the buttons are not near thier theoretical max brightness. The led's are probably pushing 5-6ma vs. the 20ma+ (because they are mux'ed) they could handle.

This is partly why the heavy version of the Octinct was developed, it has a 2-pin 3.5mm screw terminal allowing you to power the arduino and Octinct off of a higher amperage power source. The screw terminal isn't some magical voltage regulator though and clean regulated power needs to be provided through this terminal not just some wall wart. Also make sure and remove the arduino ext/usb power jumper so that you don't damage anything.



I should mention that while I have tested external power sources using the screw terminals I have not tried currents in excess of 500ma, it should work fine ... should being the operative word!

If you do decide to try a high current version (greater than the onboard regulator) you may want to look into beefing up the gnd and vcc lines on the buttonpads, the traces are fairly thin, primarily the idc to 5940 could use some beefing up.

Transistor base resistors

While the buttonpad would be more efficient with mosfets it has transistors, the interesting thing about transistors is that they have a gain ratio, and require more current to turn on, as the current they are turning on increases. This means if your octinct is running ~300ma off the onboard regulator the transistors may only need a couple ma to turn on, however if it's cranking 1.2amp or more, the efficiency goes down as well as the current goes up. This means you may need 7-8ma or more to turn on the transistors. This poses a couple of considerations.

First each color pin on the arduino is driving 4 transistors, and each pin is only rated at about 40ma. Multiply 8ma by 4 and you can see we are starting to push the limits of this design. It should probably be redesigned with better power isolation and mosfets however I leave that up to someone else.

Second if you choose a higher current for the transistor bases but don't need it, you end up using more current overall, this may be a problem if you intend to run off the onboard regulator only. You will need to verify that you power usuage is inline with ratings. My recommendations are the following:

  1. Reduced brightness Octinct running off of onboard regulator, use 4.7k resistors on the shield for the bases. This should be good up to the 400ma or so you would want to pull from this configuration.
  2. Max brightness Octinct running off of external power supply, use 1.5k resistors on the shield for the bases. This should be good for up to 1.2amp.
  3. Be prepared to swap out resistors if you are playing with high amperage operation as I have not tested this fully.
Mounting buttonpads

The buttonpads do not share all of the same mounting holes as the sparkfun pads, namely it is missing the mounting holes on the interior of the board. I suggest, as I have done myself to use XNDR's arduinome mounting method where the edges of the pcb are trimmed and the boards are retained as a group.


Long term durability

Since there are things that are not optimal about the design it is unclear if long term operation will stress any of the components out. Technically mux'ing color channels and sourcing them through a constant current driver like the 5940 should be ok, but it is certainly not the application intent of such a chip. Since the different led elements have different forward voltages the 5940 is readjusting to each led cycle to maintain a constant current. The ramifications of this over the long haul I can't really speculate.
          The Octinct Package   
Missing until now has been pieces of the Octinct puzzle, my control shield along with Jonathan's graciously allowing the buttonpads to be open sourced in an arduinome/monome style license.


Without further adieu my control shield:
Other Octinct files by Guberman:
Other Octinct files by Devon Jones:
  • Octinct Python Router (much faster and efficient, also has much improved and commented version of firmware, however i have not tested the hardware with it myself.)
I should add,

I'm using the older firmware and the old processing router in my examples.

The updated firmware and python router are much much better, the newer firmware has wonderful commenting. The firmware in the 'old' folder on evilsoft's site, and the 'old' firmware I'm using differ in a few ways:
  1. The port manipulation for the transistor bases have had some ports changed due to a mistake when creating the shield, i was assuming the analog ports were numbered incrementally and not decrementally, so I modified the firmware to account for this.
  2. The led remap has been changed
If you try migrating to the newer firmware which you should, you will most likely have to repeat these changes.

The Octinct is free for non-commercial purposes, with the understanding that you will have the pcb's made domestically wherever that may be in the spirit of monome.org
          The Octinct "Controller" is Born   
Devon was in the same boat I was, wanting a controller to replace the spaghetti mess of a breadboard that the Octinct required. For his 2nd pcb he did a very good job of creating an arduino shield that would connect all of the buttonpads together ... but had one small problem. Remember those expensize specialized idc connectors required to breadboard an Octinct, well the pinout on the socket side is different than a standard idc cable. This resulted in shield pcb's that would have to be rewired by hand, a daunting task of 96 wires.

Meanwhile Devon had his own reduction in free time with new employment, so I figured I would give a crack at it.

My having more spare time rather than better technical expertise resulted in the creation of a functionally correct Ocinct contoller shield, one version without a ground plane and limited to about 500ma, the other with heavy traces and a ground plane that would be able to handle 1.2amps or higher. The idea was that if the board had to be reworked it would be easier to troubleshoot on the 'light' shield. You can see the result in my flickr feed.


          The Octinct Story   
Originally Developed by Jonathan Guberman during the time I was working on the arduino monome project, the Tinct was a 4x4 fully pwm adjustable color buttonpad designed to be compatible with the monome serial protocol. Eventually Jonathan designed a PCB and wrote a custom router and firmware. Once he had the software working properly the proof of concept was the end of his desire to continue the project (not to mention serious school obligations).

Devon Jones breadboarded his Octinct as well and wrote a better performing router in python, all the meanwhile my Ocinct remained in a drawer soldered up but never functional due to my desire not the breadboard it. The Octinct uses 24-pin IDC cables which are fairly difficult to integrate into a breadboard unless you purchase specialized cables. The original intention was that Jonathan would eventually create a control board that would tie all the boards together, however it never developed. Similarly at the time the wishes of the buttonpads creator were that the buttonpads to remain closed source.

After the popularity the arduinome recieved I thought it was time to revisit the Octinct as something the monome community may have actual interest in.
          Arduinome Shield   
What would essentially be my first electronics project, I chose to try and clone the monome 40h kit offered by monome.org. Reasons for choosing this: 1) it's very cool 2) you can't buy them unless your lucky 3) the arduino firmware is very similar to the atmel setup the 40h logic kit uses.

The shield is mainly a max7221 and shift register breakout, the shield plus the arduino is designed to replace the 40h logic kit. Differences in usb to serial hardware resulted in the Arduinome team writing a better firmware and software router. It now enjoys even a Wikipedia entry where you can find out more information: http://en.wikipedia.org/wiki/Arduinome


Originally laid out on a breadboard, using the ladyada boarduino as the mcu of choice the arduino monome was made functional enough to run basic monome patches and used the standard monome serial application for osc message routing.

You can see the 1st arduino monome shield I created next to the latest blue 'special edition' of which 128 were made and are in the process of being sent around the world.

Ultimately it is the hardware side of things that interests me the mode, so an initial pcb for an arduino shield was developed. Little has changed from this initial design except the change from a pull down to pull up connection on the resistor array.


You can download the following files if you wish to make your own copy of the arduino monome shield:

          UPS's, MOSFETS, PWM and more!   
This post will discuss an idea related to the circuitry inside UPS's and a possible application. Now I don't take credit for this idea, I am posting it here to get input on whether you/readers think it is feasible, or have any suggestions on its implementation.This is a picture of the circuit board of a UPS. There are many dead UPS's lying around the ACCRC.
This is a closeup of a bunch of the heatsink, which cools off a group of mosfets wired in parallel, the main current shifter. Each one of these mosfets, an irf3710, is capable of dissipating 50 watts. (according to the irf3710 datasheet) So together, they can supply 1000 watts, easily enough for a powerful motor.

The idea is to take these mosfets, and use them as the basis for a scalable high-wattage motor controller. When I was building a robot (more on that in a later post), the hardest part of the initial hardware design was getting a motor controller circuit which could put out suitable current to drive the motors. Motor controllers are expensive, and the lack of them is the main restricting factor of a lot of the electric vehicle/robot work that goes on here. Anyways, the mosfets would be wired in parallel, allowing for scalability. They would take input from a computer or a microcontroller which puts out PWM, like the arduino board, or the circuit based off a parallel port, as described at http://lukecole.name/parallelport_pwm_driver.php.

Combined with easy pwm circuitry, these mosfet arrays will make it a heck of a lot easier and cheaper to conduct robotic and electric vehicle research. Any questions/suggestions?
          Summer Camp Instructor and TAs - Arduino and Game Programming - Digital Media Academy - Vancouver, BC   
DMA provides hands-on, project-based learning experiences in a broad range of digital arts, media and technology topics....
From Indeed - Thu, 29 Jun 2017 21:19:51 GMT - View all Vancouver, BC jobs
          Embedding Learning Library   
Ha habido poca actividad en el blog los últimos días, estoy reuniendo las piezas para poder implementar integración continua con Arduino y aun debo resolver algunos problemas; sin embargo, ayer hicimos un anuncio interesante en el campo de Inteligencia Artificial que quería compartir con ustedes! Embedding Learning Library es una tecnología novedosa que abre campo...
          Aprendendo Arduino — Parte 2 — visualizando bits   

Vamos baixar o nível? Muito mesmo?
Então acompanhe nossa aulinha de Arduino e eletrônica digital, venha entender o que é um bit, e visualizar como o conhecimento de números binários pode tornar mais eficiente seu projeto!

The post Aprendendo Arduino — Parte 2 — visualizando bits appeared first on Meio Bit.


          Chip Hall of Fame: Atmel ATmega8   
The chip at the heart of the original Arduino was created by two annoyed students
          Conheça o Software Arduino BasicAct   

Conheça o Software Arduino BasicAct, que possibilita a conexão com o hardware de forma prática e rápida, sem necessidade de qualquer programação.

The post Conheça o Software Arduino BasicAct appeared first on Embarcados - Sua fonte de informações sobre Sistemas Embarcados.


          What is next for techlab ?    
What is next ?

I have just received my orders. You can see all of them below. Anyway, when I have spare time, I'll write new my articles about these awesome items as soon as possible.

I plan to share these articles in this months ... well actually some of them are already prepared just I need review them and prepare some visuals and videos. Actually they take my time more than coding :)

New articles list;

- New wireless communication project (with wixel)
- Nokia 5110 LCD screen project
- Sd card project
- Commpass Project
- I2C communication
- IMU project ( only this might be posted in next month) because I have to check my code one more time before I share it.

if you want check out my other project, link is here http://technologylaboratory.blogspot.com/search/label/Arduino.


Did you see something wrong about my English ? Please let me know it and read this page. 
          Arduino Project 1 "Hello Arduino"   
Hi everybody,

Herkese yeniden merhaba,
Bu seferki projede bir önceki çalışmamda da olan servo motorun nasıl Arduino ile kullanıldığını inceleyeceğiz. Projeye bu sefer sağa sola sallanan bir bebek ekledim. Projenin amacı bebeği belirli açılarda sağa ve sola bükmek olacak. Aslında güzel bir dekoratif çalışma oldu bile diyebilirim. Fakat bir sonraki projemde kullanacağım için motoru sökmem gerekecek.
Diğer Arduino projelerime de bakmak isterseniz technologylaboratory.blogspot.com/search/label/Arduino
Gerekliler Listesi : 

- Servo Motor 
- Breadboard (bu projede çok gerelik olmayacak fazla bir bağlantı yok)
- Arduino Mega 2560 ya da diğer Arduino boardları
- Oyuncak bebek 
- Doğa ve insan sevgisi

Arduino Kod : 

/*
********************
H.Melih Erdogan
********************
Project 15
Name : Servo Motor
*/

#include  // servo motor kütüphanesini projemize ekliyoruz
Servo geziPark // servomuzun adı geziPark
int girl_pos = 0;    // motorun açısını belirlerken kullanacağımız değişken
void setup() { 
  geziPark.attach(2); // Adı gezi park olan servo motoru ekliyoruz. Motoru Arduino üzerindeki 2 
                                // numaralı pin üzerinden kontrol edeceğimizi tanımlıyoruz
void loop() { 
  for(pos = 30; pos < 150; pos += 1)  {    // motoru 30 dan 150 dereceye kadar her seferinde 1'er 
                                                                // derecelik hareketler olacak şekilde hareket ettiriyoruz                          
    geziPark.write(girl_pos);     // motora hareket etmesi gereken açısı gönderiyoruz       
    delay(10);                      // hareketler arası süre.
  } 
  for(pos = 150; pos>=30; pos-=1)  { // aynı şekilde motoru 150 den 30 dereceye hareket ettiriyoruz.                      
    gziPark.write(girl_pos);            
    delay(10);                       // hareketler arası süre.
  } 

Not : Servo motor sürmek istiyorsanız kesinlikle harici güç kullanılması önerilmektedir. Bu projede gerekli olan gücü Arduino üzeriden  (5V) aldım fakat motorun zorlanması durumunda fazla akım çekeceğinden bu durum Arduino' nun bozulmasına yani yanmasına neden olabilir. Ayrıca Arduino üzerinden çekebileceğimiz akım servo için çok çok düşük. Bir daha ki projemde servo motor  harici olarak nasıl beslenir ona da değineceğim.

Kullandığım servo motor resmi aşağıdadır. Servo motorda 3 adet kablo var. Sarı (pwm sinyal), Siyah(toprak), Kırmızı(+). Aslında motoru sürmek için pwm sinyaller gönderiyoruz. Fakat işlerin kolay olması için kütüphane biz açıyı verdiğimizde bizim yerimize gerekli hesaplamaları yapıyor ve pwm üretiyor.

Hitec 31055S HS-55 Economy Sub Micro Universal Servo
Projenin devre şeması 
Diğer Arduino projelerime de bakmak isterseniz technologylaboratory.blogspot.com/search/label/Arduino

Servo motor ve minyatür bebeğin bağlantısı.


Projenin son halinin videosu : 
Diğer Arduino projelerime de bakmak isterseniz technologylaboratory.blogspot.com/search/label/Arduino